O Supremo Tribunal Federal (STF) aguarda uma mudança [VIDEO]que poderá mexer com todos os ministros da Corte. No mês de setembro, a presidente do Supremo Cármen Lúcia será substituída por Dias Toffoli, ministro do Supremo e também ex-advogado do PT.

Segundo análise do portal ''O Antagonista'', a Procuradoria Geral da República, no comando de Raquel Dodge, mostra-se ''animada'' com a composição da Segunda Turma do Supremo, que poderia colocar condenados da Operação Lava Jato direto para a cadeia. No entanto, talvez não seja isso que vá acontecer.

Conforme Toffoli no comando, o Supremo poderá aprovar a possibilidade de recurso de decisão das Turmas.

Ou seja, todas as condenações passarão novamente ao Plenário e poderão ser rediscutidas. Dessa forma, surge uma sexta instância e os condenados na Lava Jato ganharão, de forma ''mais fácil'', a impunidade. Segundo o portal, o caso seria uma provocação da Corte.

Toffoli vota a favor de recurso de Maluf

Nesta última quarta-feira, 18 de abril, o ministro Dias Toffoli votou a favor da admissibilidade do recurso de Paulo Maluf. O deputado afastado pediu a possibilidade de apresentar mais um recurso contra sua condenação. Na votação da Corte, os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux votaram contra esta possibilidade. Por outro lado, Dias Toffoli, Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski são a favor do recurso.

No entanto, a votação ainda continuará na próxima quinta-feira, faltam os votos de Cármen Lúcia, Celso de Mello, Gilmar Mendes e Marco Aurélio Mello.

Maluf busca sair da cadeia desde sua condenação, o ex-deputado também alega problemas de saúde.

O ex-advogado do PT

Dias Toffoli vai assumir a presidência da Corte em um forte momento para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. No auge de julgamentos sobre a prisão de Lula, Dias Toffoli assumirá o comando da Corte.

No entanto, Toffoli poderia ser um forte aliado ao Partido dos Trabalhadores por já ter tido ''convivência'' com os petistas. O ex-presidente Lula lutará para se candidatar nas eleições presidenciais mesmo que dentro da cadeia. Toffoli poderá ter um forte papel em decisões que envolvem Lula.

O PT trabalha com nove cenários em que podem colocar Lula nas eleições, mesmo o petista não se encaixando na lei Ficha Limpa. É grande a possibilidade do Supremo ser acionado para debater estas questões judiciais. [VIDEO]