A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia [VIDEO], terá uma sessão dificílima para dirigir nesta quarta (04) e, nos bastidores, cogita-se que ela poderia estar planejando uma articulação para manter o Supremo com prestígio frente ao povo brasileiro. Essa contramanobra da ministra viria num momento em que o comandante do Exército [VIDEO], general Eduardo Villas Bôas, marcou uma reunião com generais às 17h para discutir a conjuntura política.

Mesmo diante de algumas críticas de ter facilitado um tipo de favorecimento ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por não ter conseguido terminar a votação do habeas corpus do petista no dia 22 de março, a ministra Cármen Lúcia ainda é uma das esperanças do povo contra a impunidade e ela tem se mantido forte.

Conforme informações do jornalista Merval Pereira, a presidente da Corte poderia ter a possibilidade de pautar as ADCs (Ações Declaratórias de Constitucionalidades) sobre a prisão em segunda instância já no começo da sessão de hoje. Dessa forma, ela eliminaria o pretexto que alguns ministros se utilizam para ver Lula solto.

De acordo com Merval, alguns ministros aproveitam o caso de Lula para tentar mudar a jurisprudência da Corte e uma contramanobra pode vir de Cármen Lúcia. Ela pode antecipar-se e marcar o julgamento das ADCs para mais adiante e deixar a sessão de hoje apenas para o caso específico de Lula. Rosa Weber ficaria pressionada a votar contra o ex-presidente analisando suas decisões passadas, pois Weber sempre defendeu o respeito com a jurisprudência do STF.

A situação é tão delicada que, coincidência ou não, foi marcada para hoje (04), uma reunião do general Villas Bôas com 16 generais quatro estrelas.

A reunião poderá englobar as decisões do STF. O clima está tenso e os ministros pressionados.

Palavras do comandante

General Villas Bôas escreveu em seu Twitter uma mensagem aos brasileiros e seu post teve grande sucesso, sendo compartilhado por várias pessoas.

Ele assegurou à Nação que o Exército Brasileiro repudia a impunidade e que mantém respeito à Constituição e à paz social. O comandante ressaltou que os militares estão atentos às missões institucionais.

Manifestações

O gramado em frente ao Congresso Nacional foi dividido por cercas. A intenção é separar os grupos de manifestantes que devem acompanhar o julgamento do HC de Lula.

Já foi comunicado que itens como balões e bonecos infláveis não serão permitidos.