O deputado federal Jair Messias Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL-RJ), pré-candidato à Presidência da República este ano, é bastante polêmico pelo fato de falar abertamente de alguns temas que dividem as opiniões. Ele é bastante conhecido por dizer algumas frases que geram controvérsias. Vejam algumas delas.

Executar políticos envolvidos com corrupção

Durante uma entrevista em um programa de televisão no ano de 1999, Bolsonaro destacou a importância de matar todos os maus políticos, dizendo que deveriam ser fuzilados para que outros parlamentares não se sentissem estimulados a cometer o mesmo crime.

''Deveriam ter sido fuzilados mais de 30 mil políticos corruptos, começando pelo presidente ex-presidente do país Fernando Henrique Cardoso'', afirmou.

Tortura

Outro tema bastante polêmico tratado pelo parlamentar foi citar que o erro da ditadura miliar foi torturar e não matar. Durante um programa de televisão na década de 1990, o parlamentar deixou bem claro que era favorável ao uso extremo da força pelos militares.

“Eu sou favorável à tortura”, afirmou ele em 1999. “O erro da ditadura foi torturar e não matar”, disse ele em 2016 sobre o mesmo tema.

Sobre a tortura, muitas pessoas desaprovam o posicionamento do parlamentar, argumentando que no período militar muitas pessoas inocentes acabaram sendo torturadas.

Maria do Rosário

O parlamentar ficou bastante criticado ao discutir, em 2003, com a deputada Maria do Rosário (TP), no Salão Verde da Câmara Federal.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

"Ela não merece (ser estuprada) porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar porque não merece”, disse Bolsonaro se referindo a deputada. Sobre o fato, Jair Bolsonaro foi processado por Maria do Rosário e foi condenado pela Justiça a pagar indenização a parlamentar.

'Coro' no filho homossexual

Bolsonaro sempre falou abertamente de sexualidade, informando que não teria problema algum em conviver ou trabalhar com alguém que não corresponda com a sua sexualidade.

Porém, disse que o filho deveria apanhar caso apresente um comportamento diferente.

"O filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um coro ele muda o comportamento dele. Tá certo? Já ouvi de alguns aqui, olha, ainda bem que levei umas palmadas, meu pai me ensinou a ser homem”, disse o parlamentar. Ele também afirmou que era levava surra dos pais na infância, mas isso não o prejudicou.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo