O grande dia está chegando. O Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO]terá a chance de mostrar aos brasileiros qual a sua posição frente à corrupção que assolou os cofres públicos do país. Em todas as mensagens fornecidas, até o momento, existe uma grande probabilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser beneficiado com o habeas corpus e se livrar da prisão. Porém, para os defensores da prisão após a condenação em segunda instância, respeitando a jurisprudência atual da Corte, a análise dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) [VIDEO] acendeu uma luz de esperança.

Conforme informações do site "o Antagonista", os desembargadores estão confiantes na Suprema Corte.

Eles acreditam no seguinte veredito: não será concedido o HC ao ex-presidente e um possível novo entendimento sobre a prisão após a condenação em segunda instância será adiada.

Até agora, apenas os desembargadores demonstraram confiança com a sessão desta quarta (04).

Delegados da Polícia Federal

A Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) também se manifestou em nota pública sobre a importância de se preservar a jurisprudência da Corte sobre a prisão após sentença da segunda instância.

Conforme a nota, a mudança de entendimento ocorrida em 2016 é recente e deve ser respeitada. Causa grande preocupação quererem mudar algo que tem sido eficaz contra a corrupção no país. Segundo a Associação, a Justiça não pode regredir, mas sim, avançar indo além das investigações.

A prisão após julgamento em segunda instância é o método infalível que pune criminosos poderosos e coloca ordem no país.

Uma alteração dessa jurisprudência seria desastroso e favoreceria exclusivamente aqueles que detêm o poder econômico e político.

O STF tem nas mãos a chance de mostrar ao país que a Lei é para todos. Qualquer decisão equivocada só vai trazer a concepção de uma Justiça Penal injusta e ineficiente.

Manifestações

Manifestações estão programadas para pressionar os ministros do STF a ouvir os apelos do povo brasileiro. Vários movimentos que são a favor da prisão de Lula já divulgaram os locais de encontro para as manifestações.

Mesmo com tudo isso acontecendo em torno do país, o ministro Gilmar Mendes aposta que a sociedade vai se acomodar.

Para Mendes, algumas pessoas irão protestar e outras serão a favor da Corte, mas quando um novo dia amanhecer, tudo ficará igual era antes e a decisão do tribunal vai prevalecer. Será?