Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli negou nesta quinta-feira, dia 19, uma liminar apresentada pela defesa de José Dirceu, solicitando que o ex-ministro possa permanecer em liberdade mesmo após julgamento de recurso em segunda instância. Toffoli entendeu que o caso deve ser analisado pela Segunda Turma da corte, que no ano passado decidiu por conceder a liberdade ao político através de um habeas corpus.

As informações foram veiculadas pelo jornal O Globo.

Após ter um novo recurso negado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), Dirceu teve sua pena mantida em 30 anos e nove meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Apesar da decisão, Dirceu ainda está em liberdade por ter direito a mais um recurso, mas pode ser preso caso o juiz Sérgio Moro, responsável pela condenação em primeira instância, decrete ordem de prisão.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, José Dirceu admitiu que pode voltar à prisão de forma definitiva. "É uma hipótese", disse o ex-ministro sobre a possibilidade de que passe o resto da vida no cárcere.

Preso em agosto de 2015, o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula conseguiu a liberdade em maio de 2017, quando a Segunda Turma do STF acatou o pedido de habeas corpus por 3 votos a 2. O ex-ministro mora em Brasília e é monitorado através de tornozeleira eletrônica.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro PT

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo