O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, foi transferido do Complexo Médico Penal de Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, para a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, que fica no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap) informou que levou o ex-governador para essa unidade prisional, uma vez que ele já está condenado.

A transferência aconteceu diante de uma solicitação dos seus advogados, que queriam o ex-governador cumprindo pena no Rio de Janeiro, já que seria mais fácil as visitas dos seus familiares e a defesa estava sendo prejudicada ao falar com ele apenas por videoconferência.

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), comandada pelo ministro Gilmar Mendes, autorizou que ele fosse transferido e encaminhou a ordem para o juiz federal Sérgio Moro.

Sérgio Cabral chegou a ficar três meses em Curitiba por determinação de Moro. O Ministério Público do Rio de Janeiro alegou que ele estava recendo regalias em Benfica, unidade em que estava antes de ir para Curitiba. Conforme as denúncias, Cabral tinha colchões de melhor qualidade que outros presos, filtros de água, instrumentos para musculação e produtos de alimentação mais requintados, como queijos e bacalhau.

Despacho do juiz

Sérgio Moro assinou o despacho liberando o ex-governador para o Rio de Janeiro, respeitando assim, a decisão da Segunda Turma do STF [VIDEO].

Porém, um fato chamou a atenção. Os advogados de Cabral ficaram revoltados com sua transferência para Bangu 8, eles queriam que o cliente fosse para Benfica, onde tinham as regalias.

Sérgio Moro transferiu Cabral para o Rio e Marcelo Bretas, que é responsável pela Lava Jato no Rio, pode ter achado melhor levá-lo para Bangu 8. Dessa forma, o ex-governador acabou sendo surpreendido pela provável "tabelinha" dos dois juízes.

Seus advogados já teriam entrado com uma petição a Gilmar Mendes para que autorize a ida de Cabral para Benfica. De acordo com eles, em Bangu, Cabral teria a integridade física exposta, já que existem muitos presos no local que foram punidos em seu mandato. Outro ponto comentado pela defesa, é que Benfica seria um local próprio reformado para receber os presos da Lava Jato.

Fúria

O ministro Gilmar Mendes [VIDEO] ainda não se pronunciou sobre o caso, mas espera-se que ele faça alguma coisa para não se sentir "passado para trás" pelos juízes da Lava Jato, mesmo que a intenção não tenha sido essa.