O Facebook retirou do ar nos últimos dias duas páginas que davam apoio ao deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSL), pré-candidato à Presidência da República este ano. Uma delas, a “Jair Bolsonaro Presidente 2018”, tinha 845.610 seguidores. A outra, “Jair Bolsonaro Presidente 2.0”, contava com 71.445.

De acordo o jornal O Estado de São Paulo, as páginas eram usadas para disseminar o ecossistema de sites de notícias ultra-engajadas de Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro se posiciona sobre o caso

No sábado (31), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Jair, protestou contra o caso através das suas redes sociais. Pelo Instagram, ele fez uma postagem mostrando a sua indignação sobre a atitude do Facebook de remover algumas páginas que apoiavam o pai.

“Apenas para que saibam nossas batalhas. As informações são que os donos vão entrar na justiça”, postou Eduardo.

Até o momento, a postagem se encontra com mais de 30 mil curtidas e pouco mais de mil comentários. Muitos apoiadores de Jair Bolsonaro comentaram que isso é um absurdo.

Nas últimas horas, essa notícia está sendo uma das mais comentadas pela rede social. As duas páginas que saíram do ao tinham um alcance de mais de 20 milhões de pessoas, segundo Eduardo Bolsonaro.

Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República, está se tornando notícia em tudo que faz.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Nos últimos dias, alguns sites de notícias publicaram diversas notas relatando que o político, caso eleito, colocaria Alexandre Frota, que foi um ex-ator de filmes adultos, como ministro da Cultura.

Sobre o fato, Jair Bolsonaro fez uma gravação de alguns segundos dentro de seu próprio carro, dizendo que gostaria de ver o Alexandre Frota como ministro da Cultura. Quando o vídeo foi divulgado, diversas pessoas ficaram surpresas e começaram a comentar e compartilhar.

Como as imagens repercutiram bastante nas redes sociais, rendendo várias críticas, Bolsonaro tentou se justificar pelo ocorrido. Segundo palavras do próprio político, o vídeo foi realizado como uma forma de descontração e negou que tenha intenções de indicar o ex-ator como ministro. Segundo ele, foi uma brincadeira.

Alexandre Frota também se pronunciou sobre o fato através das suas redes sociais, comentando que tudo isso era apenas uma brincadeira.

Mesmo com essas explicações, o caso ainda está repercutindo bastante nas redes sociais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo