A senadora petista Gleisi Hoffmann voltou a ser assunto nesta quarta-feira (18), após gravar um vídeo direcionado a TV Al Jazeera, falando sobre a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na gravação, ele afirmava que Lula era um “preso politico” e que sua detenção tinha como objetivo impedi-lo de se candidatar [VIDEO]à presidência da República. Ela ainda convida "a todos e a todas" a se juntarem à campanha pela libertação de Lula.

Gleisi ainda atacou o judiciário, afirmando que o ex-presidente está sendo condenado sem provas por juízes parciais e classificou o processo como ilegal. Ela fez acusações à mídia, em especial à Rede Globo de Televisão, [VIDEO] a qual acusou de estar pressionado o judiciário brasileiro a não colocar o ex-presidente em liberdade.

Outro crítica citada pela senadora no vídeo foi direcionado ao “governo golpista”, se referindo ao presidente Michel Temer, o qual acusou de estar ferindo o direito dos trabalhadores e ainda entregando as reservas de petróleo a multinacionais.

Troca de farpas

O vídeo feito pela senadora do PT causou uma troca de farpas com a também senadora Ana Amália (PP-RS). A senadora gaúcha afirmou que ao fazer o vídeo, Gleisi poderia ter violado a Lei de Segurança Nacional, uma vez que supostamente ele poderia ter provocado “atos de hostilidade” contra o Brasil, se referindo a petista ter pedido apoio através da emissora árabe para tentar colocar Lula em liberdade. Ela ainda classificou o vídeo como grave e espera que isso não seja um pedido para o Exército Islâmico atuar no Brasil.

A presidente do Partido dos Trabalhadores respondeu à colega gaúcha classificando sua fala como “xenofobia”.

Ela ainda usou as redes sociais para voltar a se defender, alegado que deu entrevistas praticamente idênticas para veículos da Europa e disse que o incômodo de Ana Amália deve-se ao vídeo ter sido gravado para uma emissora árabe.

A Lei de Segurança Nacional, em seu artigo oitavo, diz que é crime “entrar em negociação ou entendimento com governos ou grupos estrangeiros para provocar atos de hostilidade ou guerra contra o país”.

A discussão entre as senadoras chegou até as redes sociais e no final da tarde a hastag #Gleisiterrorista chegou ao primeiro lugar dentre os assuntos mais comentados no twitter. Nas postagens, os internautas criticavam a petista e citavam que ela tinha ferido a Lei de Segurança Nacional. Muitos deles também pediam punição para a senadora e até mesmo a cassação de seu mandato.