A ministra Rosa Weber, magistrada que faz parte como membro integrante da mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil, o Supremo Tribunal Federal (STF), demonstra a cada dia mais que a situação pode não estar fácil para o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Um dos advogados considerados lulistas e próximo ao ex-mandatário petista, Celso Bandeira de Mello, tentou a todo custo, sem sucesso, se encontrar com a ministra Rosa Weber.

Publicidade
Publicidade

Vale ressaltar que a magistrada gaúcha da Suprema Corte brasileira proferiu um dos votos considerados extremamente decisivos para que fosse rejeitado o habeas corpus preventivo que havia sido impetrado pela defesa do ex-presidente Lula, há aproximadamente um mês. A votação apertada em que o petista foi derrotado por seis votos a cinco, acabou culminando na decretação de prisão, através de decisão tomada pelo juiz Sérgio Moro, após a confirmação da condenação no Tribunal de segunda instância, o Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), que está sediado em Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

Vale lembrar que o ex-presidente Lula encontra-se sob regime de prisão, cuja pena está sendo cumprida, primeiramente, na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, capital do Paraná. O ex-mandatário petista foi condenado a doze anos e um mês de cadeia em regime prisional de caráter penal fechado, por práticas consideradas criminosas de "colarinho branco", cuja pena se baseia em corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O processo referente ao caso do apartamento de luxo Tríplex do Guarujá, tramitou no âmbito das investigações da força-tarefa de apuração de crimes relacionados à Petrobras, que são julgados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, em primeira instância, a partir da décima terceira Vara Criminal que está sob jurisdição da Justiça Federal de Curitiba. A Lava Jato é conduzida pelo magistrado paranaense Sérgio Moro, em primeiro grau, a partir da décima terceira Vara Federal da capital paranaense.

Publicidade

Ministra Rosa Weber não recebe jurista 'lulista'

Já passados vários dias após a decretação de cumprimento de prisão pelo ex-presidente Lula, um dos juristas que é considerado extremamente crítico à Operação Lava Jato, tentou se reunir com a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber. Celso Bandeira de Mello denota a intenção de "tirar da prisão todos os corruptos que praticaram crimes condenados em tribunais de segundo grau", conforme repassou a informação o site "O Antagonista".

Entretanto, de acordo com informações repassadas pelo Jornal "Folha de São Paulo", "a magistrada Rosa Weber teria alegado problemas relacionados à agenda para recusar o pedido feito pelo advogado Celso Bandeira de Mello". Porém, o mesmo advogado supra-citado conseguiu obter audiência e ser recebidos por cinco ministros da Suprema Corte: Gilmar Mendes, o decano Celso de Mello, além dos ministros Marco Aurélio Mello, José Antonio Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, quase sempre simpáticos às causas petistas na Suprema Corte.

Publicidade

Vale lembrar que os cinco ministros supra-citados do Supremo, haviam votado favoravelmente à concessão de um habeas corpus preventivo para o ex-presidente Lula, mas foram votos vencidos.

Leia tudo