Um dos mais conhecidos empresários envolvidos no mega escândalo de corrupção da Petrobras, denominado de "Petrolão", empresário Marcelo Odebrecht, foi contundente, durante um depoimento prestado nesta quarta-feira (11), ao juiz federal Sérgio Moro, no âmbito das investigações da força-tarefa da Operação Lava Jato, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba.

O empresário Marcelo Odebrecht, dono da maior empreiteira do Brasil, resolveu se manifestar, em relação a um inquérito em que o mesmo responde, juntamente com ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Resposta de Marcelo Odebrecht é dirigida à defesa de Lula

Durante a audiência em que o empresário Marcel Odebrecht concedeu depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, relacionado ao inquérito que trata da compra de um terreno em São Paulo para a construção do Instituto Lula, o empresário baiano fez afirmações contundentes.

Publicidade
Publicidade

Vale ressaltar que a entidade do ex-mandatário petista não chegou a ocupar o terreno localizado na Zona Sul da capital paulista.

Entretanto, ao ser indagado por advogados de defesa do ex-presidente Lula com relação a e-mails acrescentados pelo empreiteiro, em meados de fevereiro, o empresário foi categórico ao se dirigir aos defensores do ex-presidente petista que quanto mais falasse, mais iria complicar a vida do ex-presidente Lula.

O advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins, chegou a se queixar de não ter tido acesso aos dados dos computadores da empreiteira Odebrecht e perguntou quantos e-mails teriam sido analisados pelo empresário Marcelo Odebrecht.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato

Ao demonstrar irritação com a pergunta, o empresário baiano foi enfático ao afirmar que já teria encaminhado aproximadamente três mil e-mails e que seria melhor que a defesa ficasse com os e-mails, porque quanto mais falasse, mais irá complicar a vida do ex-presidente Lula.

De acordo com a defesa do ex-presidente Lula, os e-mails apresentados pelo empresário Marcelo Odebrecht não serviriam para fazer qualquer prova contra o petista e que não teriam tido a autenticidade evidenciada pelo laudo da Polícia Federal".

Publicidade

Entretanto, vale ressaltar que as provas já foram incluídas em outros processos no âmbito das investigações da Operação Lava Jato, como, por exemplo, o caso referente à aquisição do sítio de Atibaia, no interior de São Paulo, e que teria sido utilizado pelo ex-presidente Lula.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo