A vereadora Marielle Franco (PSOL) que foi assassinada no Rio de Janeiro, irá ser homenageada com uma medalha Tiradentes pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Essa iniciativa partiu do deputado Marcelo Freixo, que também pertence ao mesmo partido de Marielle.

Por nota, Freixo acabou se posicionando sobre o fato, dizendo as seguintes palavras: ''É muito estranho esse sentimento, porque talvez esse seja o projeto mais importante e mais triste que eu já defendi. Eu não queria precisar apresentá-lo porque eu queria ter Marielle ao meu lado'', comentou o parlamentar.

Essa medida irá ser publicada no diário oficial nos próximos dias.

Até o fechamento dessa matéria, nenhuma informação nova foi apresentada sobre o caso.

Entenda o caso

Marielle Franco foi vítima de um assassinato enquanto saia de um evento no Rio de Janeiro. A vereadora estava dentro de um carro particular acompanhada de sua assessora, quando outros dois carros fecharam o dela. Diante disso, diversos homens que ainda não foram identificados, apontaram a arma em direção a vereadora e realizaram diversos disparos de arma de fogo.

Os disparos só terminou quando os envolvidos no crime perceberam que a parlamentar já estava sem vida. Em seguida, os indivíduos empreenderam fuga do local, sem levar nenhum objeto pessoal da vereadora. O motorista que não tinha nada haver com o caso, acabou sendo alvejado por alguns disparos e também morreu. Algumas pessoas que estavam próximo ao local do crime, ficaram impressionados com a cena de Guerra e acionaram a polícia militar.

Quando os militares chegaram no local informado, encontraram Marielle e o motorista mortos dentro do veículo. A assessora da vereadora nada sofreu. Os policiais ainda chegaram a realizar uma busca na localidade para tentar localizar os indivíduos, mas ninguém foi localizado.

Algumas pessoas que viram toda a ação dos criminosos, prestaram depoimento em uma Delegacia da localidade. Dias depois, a polícia liberou as imagens [VIDEO] registradas pelas câmeras de segurança que registraram o exato momento do homicídio.

A polícia registrou o caso como execução. Ainda sobre o caso, existe uma possibilidade da parlamentar está envolvido com uma grande facção criminosa que atual em diversas áreas do Rio de Janeiro.

Até o momento, a polícia civil não conseguiu localizar os homens que participaram dessa execução. O caso continua aberto.