Enquanto o Brasil aguardava o desfecho do prazo dado pelo juiz federal Sérgio Moro a Lula, para que o ex-presidente se apresentasse à Polícia Federal em Curitiba até 17h desta sexta, o juiz concedia entrevista à CGTN America, canal de língua inglesa da China Global Television Network, e explicava mais detalhes de todo esse processo.

Moro rebateu as críticas que apontavam para uma celeridade excessiva a respeito da ordem de prisão. O juiz soltou o ofício no dia seguinte à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF [VIDEO]), que negou por 6 votos a 5 o habeas corpus demandado pela defesa do ex-presidente.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Sergio Moro

"Houve uma condenação em cima dele por lavagem de dinheiro e corrupção. Então é preciso que se execute a sentença. Apenas isso. Não vejo motivo específico para adiar essa decisão", explicou o juiz responsável pela Operação Lava-Jato.

Moro [VIDEO], por outro lado, admitiu que não se sente "confortável" ao responder perguntas sobre esse tema. Lula não cumpriu o prazo estabelecido e seguiu no Sindicato dos Metalúrgicos no ABC Paulista, onde se mantém desde a noite da última quinta-feira. A tendência é que a prisão ocorra neste sábado logo após uma missa destinada à ex-primeira dama Marisa Letícia, que morreu em fevereiro de 2017.