O juiz federal [VIDEO] Sergio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato no âmbito de Curitiba, Paraná, condenou Lula em 9 anos e seis meses de cadeia a respeito de um tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo. O juiz ganhou grande notoriedade pela forma que conduz as investigações, chegando ao alto escalão de políticos e empresários brasileiros envolvidos em crimes de corrupção.

A mulher de Sergio Moro, a também advogada Rosangela Wolff, diversas vezes parabenizou o marido e chegou a criar uma página na rede social Facebook chamada de ''Eu Moro com ele'', o objetivo dá página era mostrar apoio as investigações da Lava Jato.

Logo após a decisão dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que negaram o habeas corpus ao ex-presidente Lula, Rosangela Wolff utilizou as redes sociais para parabenizar a ministra Rosa Weber, que teve voto decisivo durante o julgamento.

A atitude da mulher do juiz surpreendeu pelo claro recado que enviou a ministra do Supremo. Na postagem, Rosangela enfatizou que a Weber agiu com grande coerência, e mandou ''mil rosas para a ministra Rosa''. No entanto, após a postagem ter mais de 1.000 curtidas e diversos compartilhamentos, Rosangela decidiu apagar a homenagem. Ainda não se sabe a razão de ter excluído a mensagem.

O voto da ministra Rosa Weber

A ministra do Supremo causou grande mistério em seu voto. Não havia informações suficientes que pudessem compreender o entendimento da ministra sobre o habeas corpus de Lula.

Weber teve papel fundamental na votação, que chegou ao resultado de 6 x 5.

Em prol do habeas corpus de Lula estavam os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes e Celso de Mello. Ao lado oposto, os ministros Edson Fachin, Alexandre de Morais, Rosa Weber, [VIDEO] Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e a presidente do Supremo, Cármen Lúcia garantiram a negativa do recurso.

A defesa de Lula tentou anular o voto de Cármen Lúcia durante a sessão do Supremo afirmando que presidente da Corte não poderia votar. No entanto, os ministros presentes discordaram do advogado e a votação seguiu em frente.

A decisão do STF complicou a vida de Lula. A possibilidade do petista concorrer nas eleições presidenciais de 2018 são baixíssimas. Por outro lado, Lula corre o sério risco de ir para a prisão. Quando os últimos recursos do Tribunal Regional Federal da 4ª Região se esgotarem, o petista poderá ser encaminhado imediatamente a uma penitenciária. O tribunal condenou Lula em 12 anos e um mês de cadeia na segunda instância.