As investigações do mega escândalo que envolveu rombos bilionários e a "sangria" dos cofres públicos da maior estatal brasileira, a Petrobras, mobiliza, de modo exponencial, aos procuradores e peritos da Polícia Federal, em se tratando das apurações que decorrem no âmbito da força-tarefa da Operação Lava Jato [VIDEO], conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. Vale ressaltar que o esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e outros crimes relacionados a "colarinho branco" são parte do denominado "Petrolão".

Entretanto, há ainda muitas dúvidas a respeito das informações prestadas pelos principais envolvidos no esquema, como por exemplo, o empresário Marcelo Odebrecht, da construtora de mesmo nome, considerada a maior empreiteira do país.

Vale lembrar que um dos casos mais emblemáticos e polêmicos trazidos à tona pelas apurações da Operação Lava Jato, trata-se do envolvimento e condenação do ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-mandatário petista foi condenado e consequentemente preso, devido a favores angariados por empreiteiras que ocasionaram desvios bilionários na Petrobras. O ex-presidente teria obtido por meio de recursos ilícitos em somente um dos processos apurados, um apartamento de luxo Tríplex, localizado em uma das áreas praieiras mais nobres da cidade de Guarujá, localizada no litoral sul do estado de São Paulo. Lula foi condenado nesse inquérito a doze anos e um mês de prisão em regime fechado, por meio de sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro e confirmada no Tribunal de segunda instância; o Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4) de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

Peritos se debruçam na descoberta de senha reveladora

Com o intuito de se aprofundar nas investigações relacionadas ao setor de distribuição de propinas da empreiteira Odebrecht, peritos criminais da Polícia Federal se concentram em apurações que permitem o desenvolvimento de uma interface considerada paralela, de modo que possibilite o acesso integral ao sistema de registros de propinas da construtora supra-citada, denominado de My Web Day. As informações foram repassadas pela jornalista Juliana Braga, do Jornal "O Globo".

Vale, no entanto, ressaltar que embora os acessos e as funcionalidades do sistema sejam considerados restritos, com a possibilidade de auxílio e ajuda de alguns técnicos da empreiteira Odebrecht, os peritos da Polícia Federal encontraram um meio para a retirada de dados preciosos. Tudo isso ocorreu sem a anuência de Marcelo Odebrecht e outros setenta e seis delatores da companhia, pois, os mesmos não informaram a senha do sistema, já que teriam alegado não tê-la encontrado.