A presidente da mais alta Corte do Poder Judiciário brasileiro [VIDEO], ministra Cármen Lúcia, poderá ter, em tese, a "faca e o queijo" nas mãos já na próxima sexta-feira (13). Vale ressaltar, no entanto, que a a presidente da Suprema Corte brasileira tem atravessado momentos muito conturbados, com a possibilidade de grandes decisões em face a toda situação política enfrentada pelo País.

Um dos principais episódios que necessitaram um verdadeiro "pulso firme" por parte da magistrada mineira tratou-se da votação com relação ao habeas corpus preventivo impetrado pela defesa do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o que acarretou na rejeição da medida jurídica por parte de maioria apertada na Corte, consolidando-se o não acolhimento por seis votos a cinco.

Votaram contra o habeas corpus os ministros Luiz Edson Fachin (relator da Operação Lava Jato na Suprema Corte), Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa weber, Alexandre de Moraes e a própria presidente, ministra Cármen Lúcia. Foram favoráveis à concessão do habeas corpus o ministros Marco Aurélio Mello, Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, José Antonio Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

Uma das ações mais concretas, após a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO], é a decretação da prisão do ex-presidente Lula, no âmbito da Lava Jato. A prisão foi determinada pelo juiz federal Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Momento de 'desafio' na sexta-feira 13

Com todo esse momento considerado extremamente "conturbado" pelo qual o Brasil atravessa, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, irá assumir o comando do Brasil, justamente na próxima sexta-feira.

A magistrada mineira assumirá o mais alto posto da nação devido a viagem do presidente da República, Michel Temer, ao Peru. O mandatário participará de reunião de Cúpula das Américas, que será realizada em Lima, nos dias 13 e 14. A perspectiva é que o presidente Michel Temer retorne ao Brasil já no próximo sábado.

Entretanto, vale ressaltar que a Presidência da República somente será assumida pela ministra Cármen Lúcia devido às regras eleitorais no País, com base na realização da próxima eleição neste ano. Tanto os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, quanto do Senado Federal, Eunício de Oliveira, vão disputar cargos públicos neste ano, à Presidência da República e Senado, possivelmente.