O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] foi preso no início da noite deste sábado (7). O petista lidera todos os cenários de intenção de voto para presidente da República na eleição de outubro. Com Lula preso, a possibilidade dele participar do pleito diminui a cada dia. Poucas horas após a prisão do ex-presidente, lideranças do PT se reuniram para discutir o futuro do partido e como devem ficar os votos que seriam em Lula.

Segundo informações do repórter Gerson Camarotti, da Globo News e do G1, o medo do Partido dos Trabalhadores é que os votos que seriam em Lula se pulverizem para outros partidos. O jornalista informa que houve uma reunião no domingo à noite (8) e foi criticado o espaço dado aos pré-candidatos à Presidência da República, Manuela D'Ávila (PC do B) e Guilherme Boulos (PSOL).

Camarotti ainda informou que um parlamentar petista que preferiu não ser identificado ficou incomodado com a pouca atenção dada a Fernando Haddad [VIDEO], ex-prefeito de São Paulo que é considerado o plano B petista no pleito presidencial.

No pior cenário analisado pelos petistas, boa parte dos votos de centro-esquerda seriam capitalizados por Marina Silva. A ex-ministra de Lula não compareceu a nenhum evento pré-prisão do petista.