Desde a noite do último sábado, 7, quando o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula [VIDEO], foi preso, militantes e apoiadores do Partido dos Trabalhadores (#PT) fazem uma vigília em Curitiba demonstrando apoio e resistência ao líder político da esquerda brasileira.

O acampamento está montado a cerca de 100 metros da Superintendência da Polícia Federal, que é o local que Lula está preso. Para manter as acomodações, há vendas de camisetas e de outros itens de movimentos sociais no espaço. Além disso, uma "vaquinha" foi feita para angariar mais recursos.

Nesta quarta, Emídio de Souza, secretário nacional das finanças do partido, lançou uma campanha de arrecadação para sustentar a vigília em Curitiba e das mobilizações em Brasília.

O PT não informou como as doações serão recebidas.

O fato é que a presidente nacional da legenda, senadora Gleisi Hoffmann, garantiu que o acampamento em Curitiba será permanente até que Lula [VIDEO] possa sair da prisão em que se encontra. "Curitiba vai ser a partir de agora o centro de nossas ações políticas. Nós só vamos sair daqui quando o ex-presidente Lula também puder sair. É permanente essa vigília", disparou Gleisi logo após a chegada de Lula à capital do PR.