Nesta sexta-feira (20/4), a procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge, que seria condecorada com a insígnia da Ordem do Rio Branco pelo Presidente Michel Temer, não compareceu à cerimônia no hall do Palácio Itamaraty. De acordo com a assessoria de comunicação do Ministério Público, a ausência da PGR, ocorreu em virtude de compromissos agendados anteriormente, os quais coincidiram com a mesma data do evento.

Neste ano, Raquel Dodge foi considerada uma das personalidades públicas que foram homenageadas pela sua atividade junto ao Ministério Público Federal (MPF), a PGR, iria receber a medalha da Ordem de Rio Branco, ou seja, a honraria mais importante do Ministério das Relações Exteriores (MRE), concedida no dia 20 de Abril (Dia do Diplomata), aos merecedores de reconhecimento junto ao Governo Brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Dodge, em fevereiro, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que incluísse o nome de Michel Temer ao inquérito denominado de 'quadrilhão do MDB', para que fossem apurados supostos pagamentos ilícitos (propinas), repassados a sigla pela construtora Odebrecht.

No entanto, também foi da PGR, a alegação de inconstitucionalidade da Medida Provisória instituída por Temer, ao beneficiar o ministro Moreira Franco com a prerrogativa do foro privilegiado, o presidente comemorou com a criação da Secretaria-Geral.

Todavia, os dois episódios contribuíram para estreitar ainda mais a relação de Raquel com Michel Temer, uma vez que foi ele, o responsável pela indicação da procuradora para chefiar o Ministério Público Federal.

Em outubro do ano passado, a PGR compareceu ao evento em que foi agraciada com a insígnia vinculada a Ordem do Mérito Aeronáutico, concedida pelo chefe do Executivo. E no ano anterior, a medalha foi entregue também pelo presidente, só que desta vez, para Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República. Mesmo com o não comparecimento a cerimônia, o Ministério de Relações Exteriores providenciará o envio da insígnia a procuradora.

Publicidade

Vários agraciados

A formalidade alcançou pelo menos cem pessoas dentre políticos, militares e diplomatas, os quais tiveram seus nomes agraciados com a honraria. Também tiveram destaque os ministros da gestão pemedebista, Gilberto Occhi (Saúde), Gustavo Rocha (Direitos Humanos) e Torquato Jardim (Justiça). A medalha é destinada á pessoas que se qualificam no cumprimento de "serviços meritórios" e exercem "virtudes cívicas". A avaliação e o resultado são desempenhada pelo governo federal.

Na oportunidade, Temer também participou da formação de diplomatas, realizada no auditório do Itamaraty. A turma de formandos realizou uma singela homenagem à vereadora assassinada em março, Marielle Franco (PSOL-RJ).

Leia tudo