O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] vem liderado todas as pesquisas de intenção de voto à Presidência da República em outubro com certa vantagem. Em segundo lugar surge o deputado extremista, Jair Bolsonaro (PSL-RJ), seguido de perto pela ex-senadora Marina Silva (Rede). A prisão do petista dominou as redes sociais na última semana, e um temor começou a crescer: a possibilidade de Bolsonaro vencer o pleito presidencial.

Segundo levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas, na última semana, somente no Twitter, foram feitas 5,6 milhões de menções à prisão de #Lula. A instituição registrou que o maior número de mensagens tratavam sobre a "desigualdade" da Justiça perante alguns e um "medo" de um possível crescimento de Bolsonaro na eleição.

A FGV afirmou que a maioria das interações se mostravam "muito preocupadas" com uma possível vitória de Bolsonaro e apontavam o ex-presidente Lula como o candidato que poderia batê-lo.

Segundo a FGV, 23% dos perfis que comentaram a prisão de Lula são de extrema direita, apoiadores do comandante do Exército e suas postagens polêmicas, criticam a ideologia de esquerda e em especial o PT. Já 23,6% eram de grupos de esquerda que apoiavam o ex-presidente Lula. Apenas 5% dos perfis eram daqueles que criticavam a impunidade e a corrupção, também querendo a prisão de alguns políticos, citando nominalmente Aécio [VIDEO], Temer e Romero Jucá. #Dentro da política