“Chega de ilusões com o Poder Judiciário. É hora de apostar tudo nas mobilizações. Temos que marchar em direção a São Bernardo. Para prender Lula, vão ter que prender milhares”. O senador petista Lindbergh Farias (PT-RJ) postou um vídeo em sua página oficial no Facebook, na noite desta quarta-feira (4), após a votação em que o Supremo Tribunal Federal (STF) não concedeu habeas corpus ao ex-presidente Lula.

Lindbergh aparece ao lado de três senadoras petistas em vídeo gravado na casa do também senador Roberto Requião (MDB-PR).

“Pessoal, eu estou aqui com a senadora Lídice da Mata, senadora Vanessa Grazziotin e senadora Fátima Bezerra”, começa o vídeo.

Na sequência, Lindbergh afirma que está assistindo o final da sessão do STF. “Eu acho que o que houve foi um escândalo. Rasgaram a Constituição”, afirmou o petista, para dizer em seguida que o Supremo chancela o “golpe” contra o PT.

Em seguida, Lindbergh mostra que não está tão de acordo com a ação petista ao afirmar que a melhor saída seria apostar tudo em mobilização de rua.

“Ontem, terça-feira, tinha que ter tido uma grande mobilização em São Paulo”, declarou.

Para Lindbergh, os ministros se ajoelharam diante da pressão feita pela Rede globo. Segundo o senador, até os militares foram usados para fazer pressão, em referência a mensagem postada pelo Comandante do Exército Brasileiro, General Villas Bôas, no Twitter.

Cordão de isolamento

“Querem prender o Lula. Nesse momento a gente tem que estar junto com o Lula.

Eu estou indo a São Paulo amanhã (quinta-feira). A gente tem que ir para São Bernardo do Campo, ficar junto do presidente Lula, fazer um cordão de pessoas que entendem a gravidade desse momento político que a gente está vivendo”, afirma Lindbergh.

A ideia do cordão, obviamente, é evitar que Lula seja preso. Como o STF negou o habeas corpus, Lula pode ser preso nos próximos dias. A defesa do ex-presidente deve entrar com novo recurso no Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

A data máxima para isso é o dia 10 de abril.

O TRF-4 pode julgar ou rejeitar o recurso. Se julgar, isso deve acontecer até o dia 18 de abril. A partir daí, o tribunal informa o juiz federal Sergio Moro, que pode solicitar a prisão de Lula.

Lindbergh comete gafe

Assim que terminou de falar, o senador passou a palavra para Lídice Damata. Depois que a senadora baiana falou, Lindbergh cometeu um ato falho ao passar a palavra para Vanessa Grazziotin.

“Quero dizer uma coisa: todos a São Bernardo. É hora de colocar o povo na rua, contra o fascismo, contra a defesa da democracia”, afirmou, corrigindo-se em seguida: “a favor da defesa da democracia.

Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!