O plenário do Senado Federal virou palco de um forte atrito político nesta quarta-feira entre a senadora petista Gleisi Hoffmann (PT-PR) e a gaúcha Ana Amélia Lemos (PP-RS). A desavença começou quando Gleisi gravou um vídeo à TV árabe Al Jazeera [VIDEO] pedindo apoio pela libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, preso em Curitiba.

Em resposta à petista, Ana Amélia fez duríssimas críticas e disse que temia pela segurança nacional a partir dos desdobramentos do vídeo. Ela chegou a dizer que esperava "que essa convocação não seja uma solicitação para o Exército islâmico fazer ações no Brasil".

Ana Amélia, que tentou o governo do estado do Rio Grande do Sul em 2014, foi rebatida por Gleisi [VIDEO], que subiu ao plenário do Senado e garantiu ter dado aos árabes a mesma entrevista que deu para veículos de países como a Inglaterra, a Espanha e a França.

Por isso, tratou como "xenofobia" a postura da senadora do PP.

E ainda teve mais: a presidente do PT chegou a falar em um possível "desvio de caráter" a partir da postura insatisfeita de Ana Amélia e lembrou que ela incentivou a "violência" durante a passagem da caravana do ex-presidente Lula em municípios do Rio Grande do Sul recentemente.