Criminalistas que acompanham o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Lava Jato estimam que o réu deverá ficar pelo menos seis anos preso em regime fechado. A matemática feita pelos advogados contam apenas com as possíveis condenações do juiz federal Sérgio Moro, responsável por processos de dezenas de políticos investigados na operação iniciada em 2014.

Lula foi condenado a 12 anos e um mês no caso do tríplex do Guarujá (SP). Segundo apurado, o petista recebeu o apartamento no Condomínio Solaris como propina da empreiteira OAS por contratos exclusivos na Petrobras.

Em delação premiada, o dono da empreiteira, Léo Pinheiro, afirmou que a unidade foi entregue ao ex-presidente e a ex-primeira dama Marisa Letícia, que solicitaram reformas, como instalação de elevador privativo e outras bem feitorias.

Lula só sairá rapidamente da cadeia se ficar doente, analisam criminalistas

A possibilidade de Lula sair da cadeia antes de cumprir um sexto da pena é descartada pela maior parte dos especialistas. O ex-presidente só teria esta chance caso ficasse doente. Foi o caso do ex-prefeito de São Paulo Paulo Maluf.

Por liminar do Supremo Tribunal Federal, o político recebeu permissão de ter sua prisão convertida em domiciliar, depois que atestados e laudos médicos foram apresentados como prova de impossibilidade de permanecer preso em uma cadeia comum. O deputado federal foi levado para sua casa em São Paulo, onde cumpre pena por lavagem de dinheiro durante gestão na prefeitura paulistana.

Novas condenações devem ocorrer contra o ex-presidente

O juiz Sérgio Moro ainda julgará Lula por outros crimes que continuam sendo investigados pela Lava Jato.

O ex-presidente será julgado, por exemplo, no caso do sítio em Atibaia (SP) e do terreno para a construção do Instituto Lula, sendo acusado em ambos os crimes por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Caso as penas sigam o mesmo julgamento dado por Moro e, posteriormente, aumentado para 12 anos e um mês pela turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o ex-presidente deverá somar 36 anos de cadeia.

Para solicitar regime semiaberto, o ex-presidente terá que cumprir um sexto da pena, seguindo preso por seis anos até recorrer o sistema da condenação.

Só STF e STJ poderiam reverter pena, mas probabilidade é mínima

As possibilidades de reverter a prisão são consideradas mínimas pelos criminalistas. O STF [VIDEO] (Supremo Tribunal Federal) poderia votar ações de constitucionalidade contra a prisão, mas a maioria dos ministros já se mostrou relutante na questão.

Outra possibilidade seria em uma rediscussão no STJ (Superior Tribunal de Justiça) em diminuir a pena aplicada, mas o tribunal tem acompanhado a Lava Jato [VIDEO] e se alinhando as condenações.