O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello foi um dos que votou a favor do habeas corpus do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Conforme a votação, o recurso acabou sendo negado e Lula foi preso neste último sábado pela Polícia Federal, em São Bernardo do Campo, ABC paulista.

Entre tantas tentativas de livrar Lula da prisão e agora para tentar soltar o ex-presidente, diversos recursos chegam na Justiça e devem ser analisados pelo Supremo.

O ministro Marco Aurélio é um dos nomes que tenta colocar em pauta a rediscussão de prisões após condenação em segunda instância, sendo o relator do caso.

No entanto, um dos advogados que enviou a liminar ao Supremo pedindo que nova votação sobre prisões em segunda instância seja analisada, foi o ex-genro do ministro. O advogado Cláudio Pereira de Souza Neto foi casado com a filha de Marco Aurélio, Letícia de Santis Mello.

Dessa forma, Marco Aurélio está sendo ''ameaçado'' por juristas para que seja substituído no caso.

Devido a grande proximidade entre o ministro e o advogado, juristas estão analisando se Marco Aurélio é o nome que se encaixa para analisar o recurso. Ao que tudo indica, o ministro não poderá mais dar continuidade com a liminar que beneficiaria o ex-presidente Lula. Estão esperando um posicionamento do ministro, que se reuniu, nesta última sexta-feira (06) com seus assessores.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula

A rediscussão sobre prisões em segunda instância está causando diversas polêmicas. A procuradora-Geral da República Raquel Dodge já se posicionou contra o recurso. Caso prisões em segundai instância sejam canceladas, não serão apenas presos políticos que irão se beneficiar, mas também diversos criminosos envolvendo pedofilia, homicídios e mais.

Lula

O ex-presidente Lula foi preso após condenação em segunda instância pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Lula é o primeiro ex-presidente preso por crime comum. O juiz federal Sergio Moro decretou a prisão do petista após todos os recursos do TRF-4 serem esgotados.

A Polícia Federal teve grande dificuldade para conseguir prender Lula devido a diversos militantes petistas impedirem a saída do ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores. O petista também mostrou-se resistente com a ordem de prisão.

O Ministério Público Federal (MPF) apontou Lula como o mandante de uma organização criminosa.

Companheiros de partido do petista como Antonio Palocci também estão presos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo