Os advogados de defesa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e a cúpula dos partidos dos Trabalhadores PT consideram que o caminho mais curto e rápido para que se consiga a liberdade do petista continua sendo pela via dos Ministros do Supremo Tribunal Federal STF. Pois mesmo a Corte Suprema tendo negado o pedido de Habeas Corpus do petista. Foi uma votação bastante acirrada, repleta de interrupções, discordâncias e bate boca entre os magistrados especialmente no momento da votação da ministra Rosa Weber.

Ao final, a corte decidiu pelo indeferimento do pedido pleiteado por Lula, por sete votos contra a seis favor.

Nesse panorama se considera que existem componentes da suprema corte que são totalmente favoráveis ao deferimento do Habeas Corpus ao ex-presidente Lula. Por essa razão os advogados do petista vão insistir nessa provável possibilidade, e devem protocolar hoje, 9 de abril, recursos direcionados ao STF, assim como, ao Superior Tribunal Justiça STJ.

Vale ressaltar que a esperança da defesa de Lula e do Partido dos Trabalhadores é que essa concessão de liberdade venha pelas mãos do Ministro Marco Aurélio Mello, uma vez, que ele é o maior defensor da tese de que o réu não pode ser preso antes de o processo que gerou a condenação ser julgado em todas as instâncias. Mostrando-se bastante descontente com a negação do pedido de HC ao ex-presidente.

Dentro deste entendimento, o ministro declarou que iria apresentar uma questão de ordem no plenário na próxima quarta-feira (11), para que sejam colocadas em julgamento duas ações diretas de constitucionalidade (ADCs), as quais trazem a discussão da legalidade ou não, da decretação da de execução da pena logo após sentença proferida da segunda instância.

Complicador

Porém, tanto a defesa do ex-presidente quanto o referido ministro terão um grande entrave para que o julgamento dessas ADCs ocorra, e esse obstáculo chama Cármen Lúcia, presidente da Corte, que inclusive foi quem deu o voto decisivo que negou o Habeas Corpus a Lula e abriu o caminho para sua prisão.

A ministra já se adiantou e determinou que a pauta desta quarta-feira(11), será o julgamento dos habeas corpus solicitados pelos advogados do ex-ministro da Fazenda Antônio Pallocci,e de Paulo Maluf. Teoricamente, as ações determinadas por Cármen Lúcia têm prioridade sobre as ADCs. Mas a pauta poderá ser modificada caso o magistrado Marco Aurélio apresente o requerimento e consiga inverter a pauta.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo