A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, recebeu, nesta sexta-feira (27), o presidente do Chile, Sebastián Piñera e foi surpreendida com uma pergunta incomum, mas que acarreta extrema curiosidade.

Em tom de descontração, Piñera perguntou à ministra e aos ministros Dias Toffoli e Edson Fachin, que também estavam presentes no encontro, o que acontece quando a Corte Brasileira falha nas suas decisões.

Um desconforto tomou conta dos ministros. Ao ver um breve silêncio deles, o próprio presidente do Chile decidiu responder a sua pergunta: "À Instância Suprema". Nessa hora, ele apontou para cima e fez referência a Deus.

O ministro Edson Fachin tentando disfarçar da pergunta do presidente revelou que a última instância do STF fica destinado à sociedade, que faz todas as críticas e elogios necessários às decisões dos ministros.

Ao receber essa resposta de Fachin, Piñera sorri e pergunta novamente: "Mas pode a sociedade revogar decisões da Corte?". Mais uma vez, o silêncio apareceu e ele ficou sem resposta.

O presidente do Chile estava interessado em saber como funciona a Justiça Brasileira e, em particular, o Supremo. Ele revelou que algumas sessões da Corte Brasileira passaram nas TVs chilenas mostrando a importância dos assuntos discutidos no Brasil.

Cármen Lúcia [VIDEO] explicou para ele que o STF [VIDEO] recebe um grande número de processos e isso acaba atrapalhando um pouco o andamento das coisas. Em mais um tom de ousadia, Piñera, que ficou 25 minutos com eles, se despediu e falou que não iria mais tomar o tempo dos ministros, pois ele sabe que existem muitos processos para serem julgados.

Michel Temer

O presidente Michel Temer destacou que o Chile é um grande parceiro comercial do país e ressaltou que essa aliança será fortalecida.

De acordo com Temer, serão superadas barreiras regulatórias nas trocas entre o Governo do Brasil e do Chile.

Venezuela

Um outro ponto discutido no encontro entre eles é a situação da Venezuela. Os dois presidentes demonstraram grande preocupação com o país vizinho e comentaram sobre a ida de Venezuelanos para os dois países, implorando ajuda e tentando uma nova vida.

Temer e Piñera assinaram um protocolo de recursos financeiros e um acordo de compras. Os dois elogiaram o encontro e consideraram "frutífero".

O Brasil tem sido o principal parceiro do Chile na América do Sul. Em 2017, houve uma alta da relação intercâmbio comercial bilateral entre os dois.