Uma das principais figuras do Partido dos Trabalhadores (PT) e ex-homem-forte durante o governo do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ex-ministro José Dirceu, teve decretada sua prisão nesta sexta-feira (18), de acordo com as investigações que tramitam no âmbito da força-tarefa da maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea brasileira; a Operação Lava Jato [VIDEO], da Polícia Federal.

Há poucas horas de ter novamente sua prisão decretada, de acordo com o aprofundamento das investigações da Operação Lava Jato [VIDEO], o ex-ministro da Casa Civil petista, José Dirceu, manifestou a alguns militantes próximos uma dúvida relacionada ao cumprimento de sua prisão; se ficaria detido em Brasília, na capital federal, ou em Curitiba, sede da Lava Jato.

O mesmo afirmou estar tranquilo com a aproximação de sua prisão.

Momentos cruciais antes da prisão

Momentos antes do cumprimento da decretação de prisão ao ex-ministro petista, sua ex-esposa, Clara Becker, lhe encaminhou uma mensagem eletrônica fazendo uma sugestão para que ele não se entregasse à Polícia Federal. Após a troca de mensagens por meio do aplicativo WhastsApp, Clara Becker fez uma reprodução do conteúdo das conversas, ao considerar que o PT não estaria dando o mesmo tipo de tratamento reverenciado a Lula, em se tratando da situação em que se encontra José Dirceu.

Ainda de acordo com o texto escrito pela ex-mulher do petista, uma forte crítica foi dirigida ao Poder Judiciário, ao qual Becker se referiu como "inescrupuloso e que Dirceu não se entregasse aos bandidos togados e que seu corpo não fosse permitido o sequestro por parte desses 'imundos", em alusão ao papel desempenhado pela Justiça e, principalmente, em relação à força-tarefa da Lava Jato que investigou o ex-ministro José Dirceu, por crimes de Corrupção relacionados ao mega esquema de distribuição de propinas ocorrido na maior estatal brasileira; a Petrobras.

Em suas críticas, Clara Becker foi ainda mais longe, ao comentar que diante da "violência e do arbítrio que desabou sobre suas vidas, não vão soltar Lula e nem vão soltar Dirceu, já que os canalhas seriam desumanos, cruéis, monstros", num gesto de desespero e de 'ataques' à Lava Jato, com a possibilidade de que o ex-marido tenha que responder às acusações de crimes perante à Justiça, através de sua condenação por meio do cumprimento de sentença de prisão.