Geraldo Alckmin [VIDEO], pré-candidato à Presidência da República [VIDEO] pelo PSDB [VIDEO], em sabatina pelo UOL, Folha e SBT, já havia informado que provavelmente Aécio Neves não seria candidato esse ano. A informação parece ser cada vez mais quente. Segundo o Congresso em Foco, o senador não tentará a reeleição por duas razão: primeiro, sua alta rejeição; segundo, para não atrapalhar o palanque do PSDB no estado.

Geraldo Alckmin precisa de um palanque forte em Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral do Brasil. Além disso, os tucanos tentarão roubar do PT o governo do Estado, atualmente comandado por Fernando Pimentel.

O senador Antonio Anastasia foi o escolhido pelo PSDB mineiro para disputar o pleito.

Quando disputou com Dilma Rousseff o segundo turno, em 2014, Aécio perdeu em Minas Gerais. O medo dos tucanos é que a simples presença de Neves afaste o eleitorado dos candidatos do partido.

Um deputado tucano que preferiu não se identificar afirmou ao Congresso em Foco que ninguém teve autoridade para vetar o nome de Aécio, já que todos, em algum momento, se aproveitaram da trajetória do mineiro. Porém, argumentou que sua rejeição pode ser um problema para Alckmin e Anastasia. E completou que sua saída ajudaria a "diluir" o desgaste.