Essa será uma das eleições mais importantes e a mais acirrada da história da democracia brasileira. Segundo especialistas, esse pleito será semelhante ao de 1989, quando foi disputada a presidência da República depois do regime militar, que ficou no poder durante mais de 20 anos.

No caso deste ano, com a esquerda reivindicando sua legitimidade eletiva, segundo ela, quebrada com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que, com gritos de ordem, diz ser “golpe”.

No caso da direita, porque a esquerda progressista tem quatro candidatos, existe um embate não menos agressivo.

Segundo a revista Veja, um novo embate se dá entre os candidatos à Presidência da República o senador Álvaro Dias (Podemos-PR) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Em um almoço na Associação Nacional de Editores de Revistas, Álvaro Dias, disse que, caso o pastor e deputado federal Marco Feliciano (Podemos) apoie o candidato do PSL, será expulso do partido.

Esse foi um recado direto do senador ao deputado Feliciano.

O pastor Feliciano, desde quando estava no PSC junto com Bolsonaro, se manifestou sempre apoio ao amigo e companheiro na Câmara Federal. Ao mudar para o Podemos, com o desejo de concorrer à vaga ao Senado por São Paulo, está sendo cobrado por não estar mais no mesmo partido de Bolsonaro.

Mesmo assim, Feliciano mantém firme e forte o apoio ao deputado e militar da reserva Bolsonaro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Política

Não é de agora que o pastor apoia o pré-candidato do PSL. Em várias entrevistas, ele já deixou bem claro sua posição de apoio ao pré-candidato à presidência da República.

A última foi em entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, no dia 20 de março. Porém, não só nessa, como em outras, sempre se colocou como um “soldado” e diz que, mesmo sendo rigoroso, o deputado é verdadeiro e isso é uma qualidade que não pode ser desprezada.

Parece que há uma incógnita dentro da direita, que pode levar a várias rupturas ideológicas e pode ser um risco a candidaturas conservadoras. Segundo o filósofo e ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro, em seu livro ‘’A Democracia’’, o termo democracia vem de duas palavras gregas, demo: povo e kratos: poder, o que se pode traduzir como poder do povo.

O poder pode estar uma só pessoa, ou um grupo.

Ainda assim, se pode chamar de democracia, desde que o poder esteja sempre com o povo. O que seria fundamental, numa democracia, é que o povo possa escolher seu governante e controle como ele pode governar.

Pelo que se vê nas redes sociais, o povo está mais voltado à Política, está mais engajado e dá a sua opinião. Nessas eleições o páreo será concorrido e poderá mudar o rumo do Brasil.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo