Nesta última quarta-feira, 16 de maio, o juiz Haroldo Nader, da 6ª Vara Federal de Campinas, determinou que todos os benefícios atribuídos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sejam imediatamente retirados. Preso desde o dia 7 de abril, Lula não poderá usufruir de uma equipe de assessores concedida desde seu último mandato. O pedido foi realizado pelo coordenador do MBL, Rubens Gatti Nunes.

Por Lei, todo presidente da República tem direito a uma equipe composta por oito pessoas de caráter vitalício, para atender aos desejos do político. Cada um desses assessores recebe um salário de aproximadamente R$ 13 mil. São quatro servidores [VIDEO] para dar ''segurança e apoio pessoal'', dois para assessoramento, e dois motoristas particulares.

Além do mais, o presidente pode escolher para quem deseja conceder o cargo.

No entanto, o juiz federal enfatizou que a prisão de Lula fez o ex-presidente ficar com cuidados muito mais rígidos, ou seja, ele tem a segurança da Polícia Federal, sendo desnecessário ter tantos assessores. O juiz também enfatizou que Lula cumpre uma longa pena de 12 anos e um mês de cadeia, dessa forma, uma expectativa de progressão aconteceria depois de dois anos de condenação, sendo desnecessário manter benefícios particulares.

A Secretaria-Geral da Presidência disse que ainda não foi protocolada a decisão do juiz, porém quando acontecer, as medidas serão tomadas imediatamente. Quanto aos assessores de Lula, ainda não é possível dizer se serão exonerados ou partirão para outro posto na presidência.

Advogados de Lula foram procurados para dar esclarecimentos, mas até agora nada foi dito.

Lula foi condenado na ação sobre um tríplex no Guarujá, São Paulo. O petista foi acusado de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, se tornando o primeiro ex-presidente preso por crime comum. Além de Lula, outros membros do Partido dos Trabalhadores também estão encrencados com a Justiça, como a presidente do PT Gleisi Hoffmann, o ex-ministro Antonio Palocci, José Dirceu e a ex-presidente Dilma Rousseff.

A defesa do petista tenta de todas as formas conseguir a liberdade do cliente. Além do caso tríplex, Lula é réu em diversas outras ações penais que ainda serão julgadas. O juiz federal Sergio Moro foi o responsável por condenar Lula na primeira instância e tem em mãos outros processos [VIDEO]do petista.

Lula nunca admitiu que cometeu crimes e segue afirmando que é vítima de uma emboscada.