O pré-candidato à Presidência da República [VIDEO] pelo PDT [VIDEO], Ciro Gomes, foi o segundo presidenciável sabatinado em conjunto pela Folha de S. Paulo, UOL e SBT. Entre os diversos temas abordados na entrevista, as medidas impopulares aprovadas pelo governo de Michel Temer ganharam certo destaque. Ciro prometeu que, caso seja eleito, irá revogar duas medidas do "governo golpista", como normalmente qualifica o grupo de Michel Temer. O pré-candidato se referia ao teto de gastos públicos e a reforma trabalhista, duas das mais criticadas ações do governo.

Sobre a reforma trabalhista, Ciro classificou como "selvageria".

Em relação a um dos pontos dessa reforma, o trabalho intermitente, o ex-governador chamou de "porcaria". Sobre o teto dos gastos, que congela os investimentos, Ciro comparou: "não é possível que a gente tenha uma pedra no lugar do coração".

Ciro Gomes prometeu que seus possíveis seis primeiros meses de governo já focaria em duas reformas: fiscal e política. O pedetista promete que irá taxar os mais ricos e menos os mais pobres. O pré-candidato foi questionado sobre a reforma da Previdência, que foi uma das principais bandeiras do governo de Michel Temer e posteriormente engavetada. Ciro afirmou que é necessário, antes de mais nada, haver uma discussão para determinar se existe mesmo esse famoso "déficit previdenciário".