Já está sobre a mesa do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, um pedido polêmico da procuradora-geral da República Raquel Dodge. Ela quer que o ministro abra uma frente de investigação partindo de depoimentos cruciais de executivos da J&F, que liga os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Fachin terá que desmembrar os depoimentos e enviar alguns para a primeira instância, outros para tribunais regionais e alguns permanecerão aos cuidados do Supremo.

Porém, de todos esses depoimentos colhidos, um está chamando a atenção e pode causar um grande alvoroço no Judiciário. Com a iniciativa de Fachin em atender o pedido de Dodge, pode-se chegar a uma investigação poderosa que retrata um esquema grandioso de corrupção tomando conta de tentativas de compra de decisões de tribunais superiores.

O começo estaria ligado a um depoimento do diretor jurídico da holding da JBS, Francisco de Assis e Silva.

Em sua delação premiada, ele levou à Procuradoria-Geral da República (PGR), no ano passado, um grande movimento suspeito de advogados que estavam a serviço da JBS. O intuito principal era a compra de sentenças em importante gabinetes de Cortes superiores. Para não perder todos os benefícios da delação, Francisco correu e entregou a tempo arquivos que continham as provas de seu depoimento.

Relação com ministro

No documento de Dodge, que está nas mãos de Fachin, encontra-se um anexo complementar que envolve o ministro Napoleão Nunes Maia, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e a advogada Renata Gerusa Prado de Araújo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Dodge pediu uma atenção especial e sugeriu a instalação de processo investigatório sobre eles.

A advogada Renata é filha do desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região e possui uma ligação com o mundo jurídico da capital. Em decorrência disso, ela conseguiu bons contratos com a JBS. Renata e Francisco, o delator, fizeram uma parceria que envolveu grandes lucros.

Separação

As coisas começaram a dar problema para eles, quando a advogada entrou num processo de separação.

Seu ex-marido Pedro Bettim Jacobi resolveu copiar e-mails dela, documentos e mensagens de WhatsApp, que acabaram retratando bem todo o sucesso de sua ex-mulher.

O material que ele juntou continha fortes relações e livre acesso com ministros do Superior Tribunal de Justiça e alguns deles tinham muita intimidade com ela. Renata chegou a receber um poema do ministro Napoleão.

A decisão de Raquel Dodge de pedir a abertura dessa frente de investigação, mostra que Operação Lava Jato está se aproximando do topo do Judiciário.

As informações estão na revista Crusoé.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo