O deputado Delegado Francischini (PSL-PR), companheiro de partido e aliado fiel do deputado extremista Jair Bolsonaro (PSL-RJ), repassou parte de sua cota parlamentar para uma empresa ligada a produção de fake news, segundo levantamento do UOL. O parlamentar destinou R$ 24 mil entre dezembro de 2017 e abril deste ano para a empresa Novo Brasil Empreendimentos Digitais, segundo o Portal da Transparência.

A empresa que recebeu o dinheiro do parlamentar tem como sócios Thais Raposo Chaves e Ernani Fernandes. O segundo é um dos donos do site Folha Política, reconhecido propagador de fake news na internet. Os pagamentos por parte do deputado foram de seis parcelas de R$ 4 mil.

O Folha Política, por exemplo, divulgou em seu site diversas matérias sobre o parlamentar e Bolsonaro, desde dezembro. Uma delas tem como título: "Delegado e Bolsonaro apresentam projeto de lei para acabar com privilégios para ex-presidentes".

O delegado é um dos principais defensores de Bolsonaro e uma das lideranças na Câmara dos Deputados de um grupo de parlamentares que pretende formar a base aliada do extremista.

Fake News

Segundo levantamento feito pela Associação dos Especialistas em Políticas Públicas de São Paulo (AEPPSP), o site Folha Política é um dos 10 maiores propagadores de fake news no Brasil.

O site Folha Político já esteve no centro de diversos problemas envolvendo notícias falsas e difamatórias contra algumas figuras públicas, como Leonardo Sakamoto.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Eleições

Um texto foi publicado no dito site acusando o jornalista de corrupção.

Até a figura intrépida de Kim Kataguri já apareceu no Folha Política, como pode ser observado:

Ernani Fernandes ganhou certo destaque quando escreveu alguns textos nas redes sociais atacando Dilma Rousseff e viralizou. Na época, em 2013, Fernandes era um estudante de Direito.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo