O deputado Delegado Francischini (PSL-PR), companheiro de partido e aliado fiel do deputado [VIDEO] extremista Jair Bolsonaro (PSL-RJ), repassou parte de sua cota parlamentar para uma empresa ligada a produção de fake news [VIDEO], segundo levantamento do UOL. O parlamentar destinou R$ 24 mil entre dezembro de 2017 e abril deste ano para a empresa Novo Brasil Empreendimentos Digitais, segundo o Portal da Transparência.

A empresa que recebeu o dinheiro do parlamentar tem como sócios Thais Raposo Chaves e Ernani Fernandes. O segundo é um dos donos do site Folha Política, reconhecido propagador de fake news na internet. Os pagamentos por parte do deputado foram de seis parcelas de R$ 4 mil.

O Folha Política, por exemplo, divulgou em seu site diversas matérias sobre o parlamentar e Bolsonaro, desde dezembro. Uma delas tem como título: "Delegado e Bolsonaro apresentam projeto de lei para acabar com privilégios para ex-presidentes". O delegado é um dos principais defensores de Bolsonaro e uma das lideranças na Câmara dos Deputados de um grupo de parlamentares que pretende formar a base aliada do extremista.

Fake News

Segundo levantamento feito pela Associação dos Especialistas em Políticas Públicas de São Paulo (AEPPSP), o site Folha Política é um dos 10 maiores propagadores de fake news no Brasil.

O site Folha Político já esteve no centro de diversos problemas envolvendo notícias falsas e difamatórias contra algumas figuras públicas, como Leonardo Sakamoto. Um texto foi publicado no dito site acusando o jornalista de corrupção.

Até a figura intrépida de Kim Kataguri já apareceu no Folha Política, como pode ser observado:

Ernani Fernandes ganhou certo destaque quando escreveu alguns textos nas redes sociais atacando Dilma Rousseff e viralizou. Na época, em 2013, Fernandes era um estudante de Direito.