O ministro Celso de Mello resolveu tirar do STF (Supremo Tribunal Federal) o inquérito contra o humorista e deputado federal Tiririca (PR-SP), acusado de assédio sexual. A medida foi tomada depois que a Corte máxima restringiu foro privilegiado a todos os deputados federais e também senadores.

Porém, a investigação não foi suspensa. Ela foi encaminhada ‘’o magistrado loco’’, no caso o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. A decisão do ministro do STF foi tomada o início desta terça-feira (8), sendo que agora este tipo de crime só é investigado pela Corte quando for cometido por deputado federal ou senador durante o exercício do mandato e também em função do cargo.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Celso Mello, suponha-se que o crime do qual Tiririca é acusado tenha acontecido durante seu mandato, mas o humorista não teria ‘’relação de pertinência ou de conexão’’, sendo que este seria um fato totalmente estranho ao ofício do parlamentar, afirmou o ministro.

Foi mantido em segredo de Justiça somente o nome da vítima, mas o do acusado foi revelado, sendo Tiririca o suposto autor do assédio. Ainda de acordo com o ministro, justificando sua decisão, esta orientação que passou a ser seguida pelo STF tem suporte no princípio republicano, onde todos para a Lei são iguais.

Após esta decisão, os autos agora serão encaminhados ao magistrado local.

Nesta última quinta-feira, dia 3, foi o ministro Dias Toffoli, também do STF, que tomou a decisão de pegar os processos de sete deputados federais e repassá-los as outras instâncias, também considerado que foro privilegiado só vale para aqueles crimes que foram cometidos durante o exercício do mandato e em função do cargo.

Até o momento, a assessoria de Tiririca não se manifestou sobre a decisão, mas nas redes sociais o nome do humorista já se encontra entre os assuntos mais comentados na manhã desta terça-feira (8).

Publicidade

"Um dos votos mais inúteis da história. Só desfrutou dos benefícios do cargo. Voto de protesto?", questionou um usuário do Twitter.

"Tiririca vai responder por crime de assédio sexual contra ex-babá na 1ª instância. O ministro do STF Celso de Mello remeteu agora há pouco processo contra o deputado que tramitava na corte para o TJ de São Paulo", comentou outro.

Tiririca foi acusado de assédio sexual por uma ex-empregada e o caso foi parar no Supremo Tribunal Federal.

A suposta vítima diz que trabalhou para o humorista e sua mulher no período de março a junho de 2016 e teria sido assediada principalmente durante as viagens com a família.

Leia tudo