O juiz Vallisney de Oliveira, da 10° Vara Federal de Brasília, acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) e pediu para que tivesse acesso à provas e investigações de um inquérito que investiga o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e vários outros petistas que não possuem foro privilegiado. As informações são da jornalista Camila Bomfim, da Rede Globo.

O juiz quer dados sobre o inquérito do quadrilhão do PT, que segundo a denúncia, teria formado uma organização criminosa e desviado dinheiro da Petrobras.

Publicidade
Publicidade

Além de Lula, respondem nesse processo: a ex-presidente Dilma Rousseff, os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, Edinho Silva, a senadora Gleisi Hoffmann e seu marido, Paulo Bernardo, e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

O ministro Edson Fachin desmembrou esse inquérito, em março, e deixou no STF apenas os envolvimentos de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo. O foro privilegiado acabou protegendo a senadora.

Numa atitude de buscar elucidar o caso no qual é responsável, o juiz quer usar as informações desse inquérito em um outro processo, no qual Lula é acusado de usar seu poder para forçar a Odebrecht a retirar dinheiro do BNDES e, em troca, contratasse a empresa do sobrinho de sua primeira mulher, a Taiguara Rodrigues.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Lula

Desmembramento

Em março, quando Fachin desmembrou o inquérito, ele ressaltou que foi vencido no julgamento. Ele não concordou com o envio do caso para a primeira instância, na época.

Os ministros que votaram pelo desmembramento foram: Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Marco Aurelio Mello.

A defesa de Lula queria evitar que isso acontecesse e chegou a pedir para Fachin não enviar o caso à primeira instância. O ministro respeitou a decisão da Corte e enviou para Brasília.

Publicidade

Manipulação

Conforme informações exclusivas do "O Antagonista", governos petistas manipularam análises de risco e garantias a empréstimos bilionários do BNDES a países amigos. A auditoria foi realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e apura os valores fornecidos para obras de infraestrutura no exterior, durante o governo petista.

Foram encontradas irregularidades em 140 operações de crédito, totalizando desvios de R$ 50 bilhões. A Odebrecht foi a que mais se beneficiou com tudo isso.

Os auditores descobriram que petistas manipularam os empréstimos e facilitaram a vida de países que não teriam como conseguir esse dinheiro em nenhum outro lugar do mundo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo