O juiz federal Sergio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato [VIDEO], está com uma importante decisão em mãos. O inquérito envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá ganhar novos documentos caso o juiz determine. Em pedido à Polícia Federal, Sergio Moro irá analisar e-mails envolvendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em troca de mensagens com o empreiteiro Marcelo Odebrecht.

Lula responde a ação penal sobre o recebimento de R$ 12 milhões em propinas da Odebrecht que serviram para a compra de um terreno que se tornou sede do Instituto Lula e um apartamento no ABC paulista, São Bernardo do Campo.

Nesta última segunda-feira, 30 de abril, a defesa de Lula pediu para que Sergio Moro anexasse ao inquérito diversos documentos encontrados no computador de Marcelo Odebrecht. A Polícia Federal tinha acesso único aos documentos, mas o juiz determinou que a defesa das partes pudessem ter conhecimento de todo o material.

A defesa de Lula tem esperança que os documentos e e-mails sirvam como prova para que Lula possa ser inocentado da ação. Os advogados acreditam que seriam capazes de ''desconstruir'' a tese o empreiteiro.

Um ponto que chama atenção é o envolvimento de FHC no inquérito. A defesa de Lula quer colocar em prova e-mails trocados em meados de setembro de 2010. Assim como Lula tem seus instituto, Fernando Henrique Cardoso tem a Fundação FHC, investigações comprovaram que a Odebrecht repassou o valor de R$ 975 mil à organização, não apresentando devidamente os comprovantes financeiros.

A Fundação FHC diz ser um ''absurdo'' que a ''doação'' seja considerada um ato ilegal.

Marcelo Odebrecht entregou ano passado na Justiça comprovantes de uma doação milionária ao Instituto Lula. Os recibos de tais doações foram de R$ 4 milhões.

O ex-presidente Lula está seriamente encrencado na Justiça. Réu em diversos processos [VIDEO], Lula perdeu o primeiro e foi levado até a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Paraná. O petista foi condenado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Lula também é acusado de receber R$ 1,3 milhões em vantagens indevidas vindas da empreiteiras OAS.

O petista tenta se candidatar à presidência da República mesmo dentro da cadeia. O líder do PT afirma ser ''vítima'' de uma emboscada envolvendo a Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF), a Operação Lava Jato e o juiz Sergio Moro.