O PSL (Partido Social Liberal) declarou que gostaria de colocar como vice de Jair Bolsonaro (PSL-RJ) Joice Hasselmann ou Janaína Pascheco. A intenção é que o pré-candidato à Presidência da República obtenha votos das eleitoras femininas, que estão se mostrando um pouco resistentes a Jair depois de algumas declarações polêmicas. Até o momento, nenhuma das duas confirmou se vai ou não aceitar o cargo, mas também não descartaram a hipótese.

Jair Bolsonaro já declarou que por ele o seu vice seria Magno Malta (PR-ES), mas ele impôs uma condição para isso.

Malta disse que só aceita a oferta para ser vice de Bolsonaro se sua esposa, a cantora gospel Lauriete Rodrigues, disputar a vaga pelo Senado.

Até o momento, o PSL e o Bolsonaro não se manifestaram sobre a proposta de Magno Malto. Isso indica que o PR (Partido da República) ainda não aceitou a ideia de fazer aliança com PSL para que Malta seja o vice de Bolsonaro.

Dificuldades de Bolsonaro

Bolsonaro terá de enfrentar grandes dificuldades para a sua candidatura. A primeira é que ele é réu em dois processos e o TSE ainda vai julgar se ele poderá se candidatar.

Se ele puder e for eleito, o Tribunal Superior Eleitoral terá de decidir se ele poderá tomar posse do cargo presidencial.

O seu segundo maior problema envolve os processos que está sendo julgado, que se referem a declarações preconceituosas. Com isso, ele tem perdido grande parte do eleitorado, fazendo com que menos de 30% o apoie, dificultando a possível eleição para Presidência do País.

Pensando nisso, o PSL juntamente com a equipe de campanha solicitou ao presidenciável que faça discursos de forma mais moderada, pelo menos para conquistar o eleitorado feminino, já que ele não pode contar com o eleitorado LGBT.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro Religião

Ele concordou em ser mais brando.

Porém, ao escolher Malta para vice, fica claro que ele acredita que o eleitorado religioso vai garantir que ele consiga ser eleito. Embora ele tenha se mostrado mais flexível em seus discursos, foi categórico em afirmar, durante a Marcha dos Prefeitos, que ocorreu na quarta-feira (23), que ele não vai se tornar o "Jairzinho paz e amor".

Ele continua fazendo declarações polêmicas, fazendo com que o eleitorado se divida entre os que concordam plenamente e os que discordam totalmente, sem meio termo.

Bolsonaro acredita piamente que seus projetos não são mágicos para transformar o País, mas que ele conseguirá governar o Brasil de maneira melhor.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo