Os três maiores partidos políticos do cenário brasileiro foram os que mais perderam com a distribuição dos recursos do fundo eleitoral criado após a proibição das doações empresariais para campanhas políticas. Se juntar o valor repassado a MDB [VIDEO], PT e PSDB [VIDEO] para essa eleição de 2018, o déficit será de R$ 382,6 milhões, se comparado com a eleição de 2014. Os mais prejudicados foram os tucanos, que perderam 73%; os governistas do MDB perderam 60,9%; já os petistas tiveram uma diminuição de 49,1%.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou como ficou o rateio do fundo eleitoral partidário. O valor total a ser dividido é de R$ 1,7 bilhão.

35 partidos políticos serão contemplados com a divisão do dinheiro. MDB, PT e PSDB, mesmo com a queda comparativa em relação a última eleição geral, lideram o ranking de valor recebido. Juntos, eles irão receber R$ 632 milhões, o que equivale a 37% do fundo.

A Rede, de Marina Silva, receberá R$ 10,6 milhões. O partido não existia na última eleição, então é impossível fazer o comparativo. O PDT, de Ciro Gomes, vai receber R$ 61,4 milhões. Em 2014, as doações foram de apenas R$ 7,2 milhões. O PSL, de Bolsonaro, arrecadou em 2014 R$ 3,6 milhões. Esse ano de 2018 passará para R$ 9 milhões graças ao fundo.