O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sempre reclamou que o juiz federal Sérgio Moro [VIDEO] o condenou sem ter especificado nenhuma prova contra ele. Lula fala que há apenas perseguição política e se diz inocente de todos os processos. Numa ação determinante de Moro, o juiz decidiu virar o jogo e "emparedar" Lula dentro do mesmo conceito que o petista tenta se safar da Justiça. Moro quer que Lula prove de onde veio tanto dinheiro que inflou seus fundos de previdência.

Conforme as informações, existem R$ 9 milhões que estão bloqueados em fundos de previdência do petista. O juiz aceitou liberar a quantia, pedida pela defesa do ex-presidente, desde que ele informe a origem lícita de todo esse dinheiro.

De acordo com as informações dos advogados do petista, esse dinheiro vem das palestras dadas por Lula [VIDEO]. Porém os valores são altíssimos e chamaram a atenção da Justiça.

Segundo "O Antagonista", foram parar na conta da LILS Palestras cerca de R$ 27 milhões. Conforme as investigações, R$ 9,5 milhões foram repassados de grandes empreiteiras que sempre firmaram acordos gigantescos com a Petrobras. Entre essas empreiteiras se destacam: Odebrecht (R$ 3 milhões), Andrade Gutierrez (R$ 2,1 milhões), Camargo Corrêa (R$ 2 milhões), Queiroz Galvão (R$ 1,2 milhão) e a construtora OAS de Léo Pinheiro (R$ 1,1 milhão).

Moro quer que Lula forneça as provas, caso contrário não vai desbloquear o dinheiro.

Novas denúncias

A decisão da Segunda Turma da Corte de retirar de Moro trechos das delações dos ex-executivos da Odebrecht ainda deixam procuradores revoltados e indignados.

Mas sempre existem alternativas que os investigadores descobrem e que trazem grande dor de cabeça ao PT. Sem contar a delação do ex-ministro Antonio Palocci que foi negociada com a Polícia Federal (PF), tem também uma outra delação que pode complicar muito Lula e a senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann. O ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, acusado de ser o operador do PT na estatal petrolífera, também quer falar e está pronto a entregar seja quem for para conseguir se ver livre da cadeia.

PGR

Além disso, a Procuradoria-Geral da República (PGR) também denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a senadora Gleisi, seu marido Paulo Bernardo, Lula, Palocci e o empresário Marcelo Odebrecht por corrupção e lavagem de dinheiro.

Conforme a denúncia, os crimes aconteceram em 2010, quando a Odebrecht prometeu ao ex-presidente Lula a doação de R$ 64 milhões em troca de decisões políticas que beneficiassem a construtora.