Anúncio
Anúncio

Na noite deste domingo (27/5), o presidente da República, Michel Temer (PMDB), em pronunciamento ao vivo, comunicou aos caminhoneiros a redução imediata de R$ 0,46 ao preço do diesel. O valor terá validade pelo período de 60 dias, no entanto, se por ventura houver reajustes, eles serão corrigidos mensalmente. Também foi anunciado por Temer, a isenção da obrigação do eixo suspenso no país e o tarifário mínimo do frete, de acordo com previsão legal que se encontra em apreciação no Senado Federal. A greve dos caminhoneiros completa oito dias, nesta segunda-feira.

Segundo informações publicadas pelo site do jornal "Uai", um encontro no Palácio do Planalto com pelo menos 15 caminhoneiros de diferentes estados brasileiros discutiram todas as reivindicações da categoria.

Anúncio

Os autônomos reforçaram as mesmas alegações da última quinta-feira (25/5), ao pleitearem uma medida provisória (MP), com a finalidade da criação de uma política de remuneração com um novo valor de frete, além disso, exigiram a garantia de um decreto presidencial abordando a taxa zerada do PIS/Cofins. Além disso, uma nova solicitação que diz respeito ao repasse de 30% do transporte das cargas dos Correios aos caminhoneiros autônomos foi exigido desta segunda vez.

Em um pronunciamento que durou em torno de dez minutos. Temer esclareceu que nunca se esquivou de dialogar com os caminhoneiros, ressaltando que o Governo compreendeu todas as necessidades dos motoristas e fez a sua parte, em contrapartida, pretende aguardar pelo fim da paralisação nas estradas e rodovias.

Anúncio

Segunda proposta

Temer iniciou o pronunciamento destacando a redução de R$ 0,46 para o litro do diesel. O presidente esclareceu que o decréscimo consiste em zerar as alíquotas da Cide de combustível, junto ao PIS/Cofins, justificando que o prejuízo será arcado pelo governo sem "sacrificar a Petrobras". Na sequência, revelou que determinado acordo valerá pelo período de 60 dias corridos, sem nenhuma alteração dos valores iniciais. O peemedebista anunciou que a isenção relacionada aos pedágios sobre o eixo suspenso também foi atendida. Desta feita, Temer prometeu reeditar a MP para que seja estendida em todas as rodovias, sendo elas federais, estaduais ou municipais. Também foi comunicado a garantida do repasse de 30% dos fretes da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Anúncio

Por fim, afirmou que a matéria a qual discute a criação de uma tabela mínima para o frete de transporte rodoviário de cargas, está em análise pelo Congresso Nacional e após ser liberada, a mesma será reeditada. Temer convocou às pressas a equipe econômica para realizar os cálculos correspondentes às novas vantagens oferecidas à categoria. Os custos, compensações e cortes foram examinados com antecedência. A nova proposta de Temer foi anunciada ao som de um longo panelaço em várias cidades do país.