A situação enfrentada pelo ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, propenso ao cumprimento de uma pena em regime fechado, de mais de doze anos e um mês de prisão, parece ter alcançado novos contornos, principalmente, a partir de sua cela na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, capital do estado do Paraná e sede da maior operação anticorrupção em toda a história do país, a Operação Lava Jato.

Vale ressaltar que a Operação Lava Jato é conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba.

Recentemente, a desembargadora e vice-presidente do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Maria de Fátima Freitas Labarrére, rejeitou, na última sexta-feira (04), um recurso judicial impetrado pela defesa do ex-presidente Lula na Oitava Turma desse respectivo Tribunal da segunda instância, com relação à possível decisão de suspensão da condenação imposta pelo tribunal revisor da Lava Jato, ao ex-presidente Lula, cuja sentença é de mais de uma década de prisão para o ex-mandatário petista. A medida impetrada pela defesa de Lula foi prontamente rechaçada pela desembargadora Maria de Fátima.

Questionamentos de detentos da Lava Jato

Vale, no entanto, lembrar que o ex-mandatário petista cumpre pena de prisão, desde o último dia 07 de abril e uma sala reservada no ultimo andar do prédio que e a sede da Polícia Federal na capital paranaense, também berço da Operação Lava Jato em primeiro grau. A decisão da vice-presidente do Tribunal Federal da Quarta Região (TRF4), desembargadora federal Maria de Fátima Freitas, foi contundente, já que a mesma considera em sua decisão que "embora esteja presente o periculum in mora (perigo na demora), relacionado à prisão do réu, não estariam preenchidos os demais requisitos considerados necessários para o deferimento de tal medida", e alusão à determinação tomada pela magistrada em rejeitar o recurso judicial da defesa do ex-presidente petista.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Lula

Maria de Fátima Labarrére foi ainda mais longe, ao classificar que "valeria dizer somente através de argumentos considerados sólidos e passíveis de acolhimento por instâncias superiores do Poder Judiciário, do ponto de vista da legalidade e também da constitucionalidade, o que poderia se tornar obstáculo para o cumprimento do julgado emitido pela Corte Regional".

Um outro fato que chamou a atenção e acabou acarretando enorme repercussão, trata-se de questionamentos fetos por parte de detentos da própria Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, que estariam extremamente curiosos para saberem a respeito da rotina do presidiário "ilustre"; o ex-presidente Lula.

O fato é que informações teriam vazado de que esses presos da Lava Jato teriam questionado os carcereiros da Polícia Federal a respeito da nova rotina do ex-mandatário petista.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo