As declarações radicais feitas pelo deputado federal e pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ) lhe renderam rejeições do eleitorado, fazendo com que ele não consiga atingir pelo menos 30% dele para ser eleito. Pensando nisso, a equipe que formula a candidatura do presidenciável pediu algumas mudanças, como um discurso mais moderado.

Além disso, o PSL (Partido Social Liberal) tem a intenção de escolher uma mulher para ser vice de Bolsonaro para conquistar o público feminino. Bolsonaro, porém, já declarou sua preferência por um homem e disse que, por ele, o vice já teria sido escolhido.

Joice Hasselmann

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, Joice Hasselmann, jornalista e comentarista, foi cotada para vice de Bolsonaro pelo PSL. A maior parte do eleitora feminino tem rejeitado as ideias e projetos do deputado devido as suas declarações consideradas machistas.

O intuito do Partido Social Liberal é mostrar que, com uma vice mulher, o cenário pode ser diferente para elas, se Bolsonaro for o presidente. Joice não fez nenhuma declaração até o momento se aceitaria o convite.

Janaína Paschoal

A advogada Janaína Paschoal também foi cotada como uma possível vice de Bolsonaro, mas ela declarou nas redes sociais que até o momento não foi convidada para o cargo e não decidiu o que vai fazer com a sua carreira política. Janaína ficou conhecida por sua atuação no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Porém, a advogada garantiu que seu intuito sempre será fazer o melhor para o país. Ela não descartou a possibilidade de aceitar o convite do PSL ou do presidenciável Jair Bolsonaro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Magno Malta

O presidenciável, no entanto, não esconde que a sua preferência para vice é pelo senador Magno Malta (PR-ES), um dos mais influentes na chamada Bancada Evangélica. Ele acredita que o eleitorado religioso vai lhe apoiar até o fim.

Porém, o público religioso não será suficiente para eleger Bolsonaro à Presidência, pois é preciso que tenha aceitação de pelo menos 30% do eleitorado. Bolsonaro já foi avisado de que precisa amenizar suas declarações, pois estão fazendo com que a campanha seja prejudicada.

Ele confia demais no público que o aplaude e o chama de ‘’mito’’, mas está tentando ser mais moderado em seus discursos. Porém, o deputado afirmou que não será o Jairzinho paz e amor que todos estão esperando e que vai ‘’continuar atirando, porém agora usando um silenciador.’’

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo