Os ministros da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) estão julgando virtualmente um pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pede a libertação do seu cliente. Conforme a defesa do petista, Lula não deveria ser preso no dia 7 de abril, já que ele teria a possibilidade de apresentar um outro recurso no Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF-4). Os desembargadores decidiram liberar para que Moro decretasse a prisão do ex-presidente e a defesa de Lula achou que outros embargos deveriam ter sido respeitados.

Diante desse recurso impetrado na Corte pelos advogados, o ministro Edson Fachin levou o caso ao plenário virtual do Supremo.

Além de Fachin, que já havia negado esse pedido da defesa, outros quatro ministros iriam votar até o dia 10 de maio pela liberdade ou não de Lula.

Excluindo Edson Fachin, os outros ministros são todos contra a prisão em segunda instância. Surgiu a esperança de Lula ser solto ainda este mês. Porém, uma grande reviravolta pode estar tomando conta da Corte.

O ministro Dias Toffoli, que já trabalhou como Advogado-Geral da União no governo de Lula e que, segundo informações, teria muita gratidão pelo ex-presidente, decidiu ir contra o PT. Integrantes do STF afirmaram que o ministro entregou o seu voto e para a surpresa de todos, votou contra seu ex-patrão. Toffoli acompanhou Fachin e isso se tornou um verdadeiro prenúncio da derrota de Lula no tribunal. Ainda restam os votos de Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Celso de Mello.

Plenário virtual

A votação começou na sexta-feira (04) e pode ir até o dia 10 de maio. Esse método de votação é utilizado em casos simples, sem grande repercussão. Pode ocorrer também de algum ministro pedir vista e levar o caso para o plenário presencial. Com o voto de Toffoli, a esperança de Lula vai se transformando em pesadelo.

Recado do petista

Lula chegou a enviar um novo recado aos seus militantes. Preso há um mês, o ex-presidente declarou que é "candidatíssimo". Quem transmitiu o recado foi o teólogo Leonardo Boff, que conseguiu visitá-lo na prisão.

De acordo com Boff, Lula disse que Moro ainda não provou nada contra ele. O teólogo chegou a dizer que Lula estava entusiasmado.

Quando Lula souber do voto de Toffoli, ele vai sentir que as coisas estão longe de ser aquilo que ele deseja. Mesmo restando mais três ministros para votar [VIDEO], Lula tinha como certo o voto de Toffoli [VIDEO]. Ao saber da notícia, o susto vai ser grande.