A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenta de todas as formas cancelar a decisão dos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Em mais um pedido à Justiça, os advogados do petista receberam, nesta sexta-feira (4), uma resposta contundente da vice-presidente do tribunal, a desembargadora Maria de Fátima Freitas Labarrère.

Ela negou mais um pedido dos advogados que protocolaram que fosse cancelada a decisão da 8ª Turma do tribunal, dada pelos magistrados Victor Laus, João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen.

A votação foi responsável por estabelecer 12 anos e um mês de prisão Lula no caso do tríplex do Guarujá (SP).

O ex-presidente foi acusado de lavagem de dinheiro e Corrupção passiva nas investigações da Operação Lava Jato. Como os últimos dos últimos recursos em tribunais superiores ainda não foram julgados, a defesa de Lula tenta revogar a prisão.

No entanto, a desembargadora avaliou que, mesmo na decorrente demora da prisão de Lula ''periculum in mora'', os requisitos necessários não foram preenchidos, que são a possibilidade de que os recursos sejam admitidos nos tribunais superiores e também a probabilidade de acolhimento das teses da defesa.

Fátima Labarrère disse que a defesa deveria apresentar argumentos sólidos para que sejam possíveis que instâncias superiores acolhessem o pedido. Segundo informações do site O Antagonista, a defesa de Lula já teria desistido de apresentar os tais argumentos sólidos, pois isto não existiria, prejudicando a defesa do petista.

Prisão do petista

Desde o dia 7 de abril, Lula encontra-se encarcerado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, capital do Paraná.

O petista se prejudicou após condenação dada pelo juiz federal Sergio Moro na primeira instância e também recursos negados em outras instâncias, como no TRF-4.

Lula tentou habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal, mas as tentativas foram em vão. Na ocasião da prisão, a Polícia Federal teve uma série de dificuldades.

Lula se entregou nos últimos momentos e argumentou que a demora foi pelo fato da militância do seu partido tentar impedir a prisão.

Em Curitiba, o petista cumpre pena pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro recorrentes de um tríplex no litoral de São Paulo, em Guarujá.

Além desse processo, Lula é réu em outras ações penais e tenta se livrar das mãos do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato no Paraná. O petista afirma que é inocente de todas as acusações e vítima de uma emboscada.

Siga a página Lula
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!