O deputado extremista [VIDEO] e militar da reserva, Jair Bolsonaro [VIDEO] (PSL-RJ), defendeu um novo golpe militar e até guerra na década de 90, segundo informações da Folha de S. Paulo. Atualmente, o parlamentar afirma que nunca falou sobre intervenção militar, porém, não é bem o que a publicação mostra.

A Folha relembra uma entrevista de Bolsonaro ao programa Câmara Aberta, em 1999. Ao ser perguntado o que faria se fosse presidente da República com o Congresso, Bolsonaro afirmou que "daria golpe no mesmo dia".

Na mesma entrevista, o deputado defendeu a morte de parcela da população, cerca de 30 mil, para ser mais preciso.

Inclusive FHC, presidente da República naquele ano. Segundo Bolsonaro, em 1999, "se vai morrer alguns inocentes, tudo bem".

A Folha também lembrou que, em 1993, Bolsonaro defendeu a volta da Ditadura Militar durante encontro com militares da Bahia e do Rio Grande do Sul. A publicação ainda lembra uma das falas do deputado extremista no plenário da Câmara dias depois do encontro com os militares: "Sou a favor sim de uma ditadura, de um regime de exceção", disse Bolsonaro à época e relembrou o jornal.m

Na última semana, o parlamentar negou que tenha apoiado intervenção militar durante sua trajetória política. O deputado afirmou que se um militar chegar ao poder, será pelo voto.