O candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, João Doria, foi o entrevistado da sabatina do UOL, Folha de S. Paulo e SBT desta segunda-feira (11). Durante a entrevista, o tucano afirmou que o companheiro de partido, Eduardo Azeredo, preso no último mês, deveria ser expulso do PSDB. Na mesma entrevista, Doria foi questionado sobre o que deveria acontecer com Aécio Neves então, réu no Supremo e afastado pelo STF duas vezes do cargo de senador. O ex-prefeito de São Paulo afirmou que o caso de Aécio é diferente, pois ele "não foi condenado ainda".

João Doria também deu seu pitaco sobre a candidatura do antigo padrinho político, Geraldo Alckmin.

Ele afirmou que o tucano candidato à presidência da República terá tempo ainda de se recupera nas pesquisas. Doria também comentou que espera que Alckmin seja o candidato das "forças de centro".

A ideia de unir o centro já vem sendo discutida há algum tempo por partidos que fazem parte do Centrão do Congresso. O objetivo é aglutinar forças para poder bater de frente com possíveis candidatos únicos da direita extremista, no caso Bolsonaro [VIDEO], e alguém que venha a unir a esquerda, que poderia ser o próprio ex-presidente Lula ou até mesmo o pedetista Ciro Gomes. [VIDEO]