Jacob Bittar, pai do empresário Fernando Bittar, que diz ser o verdadeiro dono do sítio, decidiu revelar à Justiça detalhes sobre o processo do sítio de Atibaia. Jacob é testemunha de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e não poderá ir depor ao juiz Sérgio Moro, devido a seus problemas de saúde. Em uma declaração anexada no cartório sobre os autos do processo, Jacob, ex-prefeito de Campinas e amigo de Lula, disse que o ex-presidente chegou a negociar a propriedade com seu filho Fernando Bittar. Segundo ele, isso acabou causando brigas na família, pois ele era contra a venda.

De acordo com seus dizeres, Jacob afirmou que Lula estava muito constrangido por usar muito o sítio que não era dele.

Em 2014, o ex-presidente teria conversado com a família Bittar e sugerido a compra do imóvel. Jacob revelou que sempre foi contra a venda da propriedade, mas deixou um recado para seu amigo dizendo que ele poderia usar à vontade, pois isso, lhe deixava feliz.

Uma tentativa de negociação entre Fernando e Lula com a participação de dona Marisa Letícia para a compra do sítio não foi bem aceita na família Bittar. "Isso gerou uma briga na nossa família, porque eu não concordava com a venda", ressaltou o ex-prefeito de Campinas.

Ação penal

Conforme as acusações do Ministério Público Federal (MPF), Lula é o dono do sítio e teria usado Fernando Bittar como "laranja". No processo é investigada uma suposta propina recebida pelo petista para a reforma da cozinha e do lago da propriedade.O valor chega a R$ 1 milhão e teria sido retirado da corrupção que envolveu a Petrobras.

As construtoras Odebrecht, OAS e Schahin teriam beneficiado Lula com as obras em troca de vantagens indevidas em contratos com a estatal petrolífera. A defesa do ex-presidente nega as irregularidades e diz que o ex-presidente não é dono do sítio.

Depressão

Segundo as informações de Jacob, foi dele a ideia de comprar um sítio em Atibaia. Ele falou que viveu momentos de depressão devido a sua doença de Parkinson. O objetivo era reunir sempre a família e os amigos com vários encontros na propriedade.

Na manifestação anexada ao processo, Jacob comenta que sempre teve uma forte amizade com Lula. Ele também afirma que tem os filhos do ex-presidente como seus próprios filhos. Jacob falou que o sítio sempre teve as portas abertas para seu amigo e dona Marisa. Eles tinham total liberdade no local.

No dia 11 de setembro, o juiz Sérgio Moro [VIDEO] marcou o interrogatório e ouvirá o petista na ação penal do sítio. Muitos detalhes estão sendo juntados para que Lula [VIDEO] explique no dia da audiência.