Apesar de alguns embates entre o jornal Folha de S. Paulo e o presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL (Partido Social Liberal), a redação da própria Folha trouxe a informação nesta quinta-feira (21) que a família 'Bolsonaro' já teria [VIDEO] acionado emissários na Casa Branca para um possível encontro com Donald Trump.

A residência é a porta de entrada para um possível diálogo entre ele e o presidente dos Estados Unidos. Obviamente pontos em comum deverão ser a pauta entre os dois [VIDEO], caso a reunião realmente aconteça. Ambos são ex-militares, fazem parte da direita política, criticam a ditadura de Maduro (presidente da Venezuela) [VIDEO] e não tem 'papas na língua'.

Dentre os principais filhos de Jair Bolsonaro envolvidos na vida política, estão Flávio Bolsonaro, Deputado Estadual, pelo PSL, no Rio de Janeiro, Eduardo Bolsonaro, também do PSL, deputado federal por São Paulo, e Carlos Bolsonaro, vereador no Rio. Segundo a Folha, seriam estes os responsáveis pelo contato com a residência oficial, a Casa Branca, na capital Washington.

Jair Bolsonaro e sua admiração por Donald Trump

Em sua conta oficial no Twitter, o parlamentar vem demonstrado sua admiração ao presidente norte-americano, comemorando também a vitória da direita nos países latino-americanos, de fato, essa não é a primeira vez que Bolsonaro tenta uma aproximação com Donald Trump. No entanto, desta vez a tentativa é quase que emergencial, já que há a corrida presidencial se aproxima.

Ao contrário de Bolsonaro, Ciro Gomes, do PDT (Partido Democrático Trabalhista), parece defender (de certa forma) o governo Maduro.

Ciro sustenta que o Chavismo não se sustenta mais, no entanto Hugo Chávez, apesar de militar, era socialista (mais relacionado à esquerda) e anti-imperialista, o que não acontece com Bolsonaro.

De olho no 1º e 2º turno, Bolsonaro aposta em agenda conservadora contra Ciro Gomes, Marina Silva e demais candidatos

O parlamentar deve apostar em sua agenda conservadora de direita que é o que já vem sendo feito há muito tempo. O trâmite envolve não só o Ministério das relações exteriores (Departamento de Estado), como também aliados, bem como o Conselho das Relações Estrangeiras (Council on Foreign Relations), sediada em Nova Iorque.

Na disputa eleitoral estão Ciro Gomes, do PDT, e Marina Silva, do Rede Sustentabilidade, como principais adversários, além de Geraldo Alckmin, do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira).

Tratando-se de Estados Unidos, mesmo que o apoio não venha à público, é notável os pontos em comum entre Jair Bolsonaro e Trump, o que pode, de certa forma, aumentar ainda mais a influência da direita no país, e, consequentemente, a vitória nas Eleições de 2018.