O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, comentou as críticas que o juiz federal Sérgio Moro tem recebido de dirigentes petistas e militantes, que o acusam de ser parcial ou deslumbrar uma fama adquirida com os avanços da Operação Lava Jato. Para o ministro, o juiz cumpre um papel simbólico, dentro e fora do país, mostrando todo o esforço do Brasil no combate à corrupção.

O surgimento da Lava Jato se tornou um grande pesadelo para muitos políticos e agentes públicos que estavam acostumados com atuações criminosas contra os cofres públicos.

Publicidade
Publicidade

O juiz Sérgio Moro acabou ficando em evidência ao fazer um trabalho apoiado pela grande maioria dos brasileiros. A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o ápice para que o magistrado fosse criticado e até mesmo ofendido por aliados do ex-presidente. Alvo de ameaças, Moro teve que pedir para a área de segurança da Justiça Federal de Curitiba até mesmo um guarda-costas para acompanhá-lo em suas viagens.

Barroso decidiu sair em defesa do juiz e disse que sua atuação é competente, séria e técnica e que tem servido muito bem ao país.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro

Segundo Barroso, nos encontros em que ele teve com o juiz da Lava Jato, em diversos eventos, ele não viu, em nenhum momento, um deslumbramento do magistrado como seus críticos falam.

Transformações no país

O ministro ressaltou que é de grande importância mostrar ao mundo tudo o que o Brasil está fazendo para vencer a corrupção sistêmica. Os esquemas criminosos mostraram uma grande parcela da classe política envolvida. "Nós devemos ter orgulho do esforço que o país está fazendo para mudar esse paradigma", disse o ministro.

Publicidade

Caso Lula

Questionado sobre a condenação do ex-presidente Lula, Barroso disse que não seria correto ficar comentando esse assunto. Porém ele assegurou que a decisão de Moro foi aceita por três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e isso deve ser levado em consideração.

De acordo com o ministro, o caso está fora de sua jurisdição e por isso seu mérito não deve ser opinado, mas reiterou que a sentença do juiz da Lava Jato foi confirmada por unanimidade no tribunal da segunda instância.

Muitos outros ministros, conforme suas entrevistas e pensamentos, discordam das ações de Sérgio Moro. Gilmar Mendes é um deles, que, recentemente, chegou a dizer que estavam tentando criar uma nova Constituição da República de Curitiba.

Barroso salientou que há uma certa divisão na Corte e todo o processo de transformação sempre tem resistências. "Essas pessoas da velha ordem têm aliados em toda parte", declarou Barroso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo