Na quarta-feira, dia 18 de julho de 2018, Jair Bolsonaro [VIDEO]visitou Goiânia, em Goiás, para cumprir agenda política, divulgar suas ideias e fazer ato político. No desembarque do Aeroporto Internacional de Goiânia, Bolsonaro foi recepcionado por simpatizantes e eleitores na área externa. Bolsonaro discursou num carro de som. Em certo momento, uma criança foi dada ao deputado que a segurou no colo. Nesse instante, segundo informa a repórter que fazia a cobertura no vídeo que foi disponibilizado no Youtube, Bolsonaro faz seu 'gesto títpico', que é um sinal que assemelha arma (revólver), usando dedo indicador apontado a frente e polegar ereto.

Com dificuldade e falta de destreza, a criança é auxiliada por Bolsonaro a fazer o gesto de forma certa. Nota-se no vídeo, que várias pessoas que rodeavam o carro, também fazem o gesto em euforia e aclamação ao deputado.

O gesto é comum nos eventos que o candidato participa e faz parte do repertório do político em sua campanha e divulgação de ideias. Jair Bolsonaro já declarou que é a favor da liberação do porte de armas [VIDEO].

Repercussão do vídeo nas redes sociais

O vídeo não passou imune de críticas nas redes sociais, principalmente de adversários políticos de Bolsonaro, alguns, postulantes ao Palácio do Planalto.

Eduardo Jorge disse que o ato de Bolsonaro é uma 'vergonha' e que ele usou a inocência de uma criança para fazer uma 'propaganda tosca'. Ainda criticou a candidatura de Bolsonaro, classificando-a como a do ódio, da xenofobia e da violência.

Guilherme Boulos, pré-candidato ao Planalto pelo PSOL, disse 'sentir nojo' pela atitude de Bolsonaro ao incentivar uma criança a fazer gesto simbólico de arma empunhada. Boulos também caracterizou a campanha de Bolsonaro como a do "ódio". Ainda acrescentou que o Bolsonaro é mais que seu adversário, é adversário do Brasil. Vale lembrar que Bolsonaro é um dos parlamentares mais críticos da atuação do PSOL e outros partidos esquerdistas, dizendo, inclusive, que tais partidos defendem mais os bandidos que a sociedade do bem.

Já o jornalista esportista Gerd Wenzel da SporTV, respondendo o twett de Boulos, aprofunda crítica ao dizer que Bolsonaro não é só adversário do Brasil, pelo o que fez, como diz Boulos, mas é, acima de tudo, "inimigo do Brasil".

O jornalista condenou qualquer extremismo, seja de qual ideologia política seja, comentou que existem vários exemplos históricos que demonstram isso. Atos assim devem ser repudiados.

Posicionamento de Bolsonaro

Segundo a mídia especializada, Bolsonaro ainda não se manifestou pelo ocorrido. O vídeo da passagem de Bolsonaro em Goiânia pode ser visto na íntegra abaixo: