Dias após a seleção brasileira ser eliminada da Copa do Nundo, o Brasil voltou a discutir política nas redes sociais. Um dos assuntos mais comentados voltou a ser a prisão do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

A semana começou movimentada quando, ainda no domingo (8), o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4), mandou que o ex-presidente ganhasse liberdade. A ordem deixava claro que Lula deveria ser solto dentro de uma hora após o anunciado [VIDEO].

Diante de tal decreto, vários membros do Partido dos Trabalhadores (PT) iniciaram uma grande sessão de gravações para as redes sociais em que anunciavam o grande dia para o partido e para o ex-presidente.

A notícia pegou muita gente de surpresa. As redes sociais ganharam inúmeros comentários a favor e muitos outros contra Lula.

A notícia trouxe uma alegria momentânea aos petistas, pois não durou muito tempo. Nesta terça-feira (10), a presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, rejeitou um pedido para conceder liberdade ao ex-presidente. Nesta decisão, a ministra fez ainda duras críticas ao desembargador Rogério Favreto, que deu a ordem de soltura para o ex-presidente. Vale lembrar que ainda no domingo (8), após a ordem de soltura, uma outra decisão, tomada pelo presidente do TRF-4, Thompson Flores, conseguiu manter [VIDEO] o ex-presidente preso.

O político está preso desde o dia 7 de abril deste ano, quando foi condenado a cumprir uma pena de 12 anos e 1 mês em decorrência de um processo relacionado a Operação Lava Jato.

Ainda caberá a presidente do STJ analisar um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), em que será definido oficialmente de quem será a competência para analisar os pedidos de liberdade de Lula.

Destino de Lula muda mais uma vez após decisão de Laurita Vaz

Segundo a avaliação de Laurita, o ocorrido foi algo “inusitado e teratológico” em relação as decisões de Favreto. Ainda segundo ela, o ato é um verdadeiro desrespeito às decisões já tomadas pela 8ª Turma do TRF-4, que condenou o ex-presidente.

Confira o texto relatado por Laurita:

"É óbvio e ululante que o mero anúncio de intenção de réu preso de ser candidato a cargo público não tem o condão de reabrir a discussão acerca da legalidade do encarceramento, mormente quando, como no caso, a questão já foi examinada e decidida em todas as instâncias do Poder Judiciário", destacou a presidente do STJ.